31 de maio de 2021

O JUÍZO DA HISTÓRIA

Quando Lula foi denunciado pelo consórcio Polícia Federal e Ministério Público, a 13 Vara Federal, capitaneada pelo Juiz Sérgio Moro, não hesitou em acolhê-las, tornando o Ex Presidente Lula réu.

Dois julgamentos foram feitos e Lula, no entendimento daquele Juízo, foi declarado culpado e sentenciado à prisão. Permaneceu encarcerado por 580 dias, enfim cumpriu parte da sentença.

Desde o início das investigações comandadas pela força-tarefa do MPF até hoje, inúmeras vozes se levantaram denunciando a parcialidade do Juiz Moro, o conluio criminoso entre o MPF e o Juiz e a incompetência daquela Vara pra acolher, julgar e sentenciar.

Pois muito bem, tudo isto foi devidamente reparado pela Suprema Corte Judicial brasileira. A justiça hoje corrigiu os erros, frise-se criminosos, cometidos pela Polícia Federal, pela força-tarefa “Lava-jato” e pela 13 Vara Federal de Curitiba. Erros que foram anuídos pelo Tribunal Regional Federal, sediado em Porto Alegre, e pelo STJ Superior Tribunal de Justiça, em Brasília.

É impossível não fulanizar, afinal de contas um cidadão foi trancafiado por 580 dias, pois todos os Habeas Corpus pela liberdade do “paciente” antes do devido “trânsito em julgado” foram rechaçados. Válido lembrar que a maioria (6x5) dos membros do STF tem culpa neste cárcere injusto, ao rejeitar o HC no dia 04 de Abril de 2018. Os direitos políticos de Lula estando na ocasião suspensos, este não pode se candidatar às eleições presidenciais.

E os resultados, todos sabemos: a democracia foi maculada e um fascista venceu as eleições. Pelo conjunto da obra, os direitos de Bolsonaro deveriam ter sido suspensos e, antes, perdido o seu mandato parlamentar por recorrentes ofensas às mulheres, à democracia, às minorias e a apologia ao regime ditatorial implantado em 1964, à tortura e à violência contra seus detratores.

Durante todos estes anos de recorrente “lawfare” e avanço do que há de mais execrável e abominável na política brasileira, venho afirmando que todos estes eventos e personagens um dia serão julgados pela HISTÓRIA.

Eu, Moro, Você, Eles, Elas, Lula, Deltan, Cunha, PT, Bolsonaro, Bolsonaro, Petistas, Camisas vermelhas, camisas canarinho, “neutros”, parlamento, procuradores, juízes, policiais, enfim todos seremos julgado pelo que fizemos ou deixamos de fazer, pelo que falamos ou deixamos de falar, por nossas escolhas e omissões.

Quero deixar muito evidente aqui que já tenho uma previsão sobre o veredicto da HISTÓRIA sobre tudo que passou e sobre todos os seus sujeitos. Posso dormir tranquilo o sono dos justos, me regozijar de que travei o bom combate e estive do lado dos bons lutadores. E já antecipo também o que farei daqui por diante, exatamente algo semelhante ao que tenho feito até agora.

Espero que daqui pra frente que o debate político seja de fato julgado nas urnas e nos parlamentos e que os devidos processos legais não sejam conduzidos por agentes públicos parciais, que a política não mais se judicialize e que a justiça não mais se politize. Que a democracia, a liberdade e a justiça triunfem.

Vale lembrar que pra mim LUTO SEMPRE FOI E SEMPRE SERÁ VERBO!

Nenhum comentário:

ESPECULAÇÃO SOBRE O TEMPO

CIRES PEREIRA Senhor imaterial das vidas humanas Divindade colossal sem seguidores Referência nada mensurável Suserano que prescinde de baju...