31 de maio de 2021

ESPECULAÇÃO SOBRE O TEMPO

CIRES PEREIRA

Senhor imaterial das vidas humanas

Divindade colossal sem seguidores

Referência nada mensurável

Suserano que prescinde de bajuladores

Condutor dos (meus) tortos passos

ATÉ QUANDO ...

Contabilizaremos a quantidade de enfermos?

Naturalizaremos a absurda soma de óbitos?

Conformaremos com esta barbárie?

SOLIDARIEDADE MULHERES

Não há o que comemorar

São muitas as brasileiras agredidas

Insultadas e ofendidas

São muitos os homens agressores

Insultadores e ofensivos

COLAPSO

CIRES PEREIRA

Afinal, quem colapsou?

O país? Ou o seu Presidente?

Pra você!

Quantas vacinas você já tomou na vida?

E seus filhos? 

Provavelmente muitas não é mesmo?!

BOMBA BRASIL

Nada ocorre por ocaso, portanto pra tudo há uma explicação, o fato é que nestes 20 dias de março morreram mais pessoas que qualquer outro mês desde o início da pandemia. Mais de 35 mil vidas foram ceifadas e outras 25 mil serão perdidas até o 31 de março.

INACEITÁVEL

Seu juízo, loucura

Sua visão, cegueira

Seu conselho, tolice

HOSPITAL BRASIL

Cires Canisio Pereira

Enfermarias apinhadas

De tristes acamados

Leitos abarrotados

De enfermos sem os seus.

HOMEM

Cires Canisio Pereira

Não, não é verdade que todos se redimirão

Não, não é fato que todos sejam corrigíveis

É impossível que o mal desabite-se de todos!

Não, lamentável e previsivelmente não!

ESPERANÇA

CIRES PEREIRA

Os números que confirmam um quadro de calamidade pública são noticiados todos os dias. Infelizmente não são os mesmos números desde janeiro de 2020. Este quadro tem se agravado nos últimos três meses, dando contornos que chocam e geram um misto de desespero e impotência.

Desespero porque lutamos com um vírus que se modifica, tornando-o ainda letal. A ciência corre contra o tempo e tem, felizmente, nos dado muitas armas pra lidarmos com a situação, e a principal tem sido as vacinas.

A humanidade saberá conter a pandemia ainda em 2021, mas não erradicará o vírus. Provavelmente, não haverá em 2022 vítimas fatais da Covid, a não ser que não tenham podido ou querido se tratar. Novos fármacos e novas terapias tendem a ser ainda mais eficazes. As ciências médicas e a farmacologia evoluem numa velocidade inimaginável.

Enfim, sairemos mais fortes desta situação, sobretudo graças à comunidade científica e aos servidores da área da saúde. Mas lições precisam ser tiradas e há muito o que aprender e a ser corrigido. Pra início de conversa nesta direção, o nosso futuro e o futuro das novas gerações não deveriam ter espaço pra armas e guerras.

No mundo inteiro, os cidadãos e cidadãs deveriam, a partir de hoje, elencar alguns requisitos mínimos pra escolherem representantes políticos e gestores públicos, a saber: comprometimento com os direitos fundamentais do ser humano: vida, liberdade e acesso às condições dignas de existência; responsabilidade com o meio ambiente; respeito às diferenças de toda natureza e em todos os planos (local, regional, nacional e mundial) e uma postura anti belicista.

Esperamos sim, por um outro mundo! Que tiremos desta crise atual os ensinamentos que nos habilitem a lutar. Lutar até que este novo mundo se torne realidade.

MEU JARDIM

CIRES PEREIRA

Uma fartura de grama

Deitada e crivelmente verde

A Jabuticabeira que, hora ou outra,

Corresponde com suas doces filhotas pretas

Mas nem precisava se dar a este trabalho

Sua presença em meu jardim já me basta.

TEMPO

CIRES PEREIRA

Em tempos tirânicos

Nosso dever enfrentar

E vencê-los!

SER COLETIVO

Cires Canisio Pereira


Dai-me um pouco de sua atenção

Ouça-me com cuidado e respeito

Mas não me tome como arauto da verdade.

Trago-lhe minha versão dos fatos

Certamente parcial e tendenciosa.

Tenho orgulho da opinião que tenho

Comprova minha falibilidade.

TEIMOSIA

Cires Canisio Pereira


Nada de se prostrar

Resista à sujeição

Não aceite canga

Seja teimoso!

ABERRAÇÃO

Cires Canisio Pereira

O alojado no Palácio não passa de parido da crise

Este inominável se reivindica “Chefe Maior”

Diz comandar o “melhor” governo da história

Mas porta-se como chefe de turba “nonsense”

PRIVILÉGIO

Cires Canisio Pereira

O que é ser privilegiado?

É todo ser que é humano!

Somos criaturas? Somos!

Mas também somos criadores!

É GUERRA!

Inebrie-se de livros

Municie de letras

Mire-se nas palavras

Mate a preguiça

TEMPO HUMANO

Antes de irmos pra um além que nos é incógnito

Antes de deixarmos aqui que pouco conhecemos

Muito ainda precisamos fazer e temos ainda tempo.

Não abdiquemos de nosso sentido de existência.

O JUÍZO DA HISTÓRIA

Quando Lula foi denunciado pelo consórcio Polícia Federal e Ministério Público, a 13 Vara Federal, capitaneada pelo Juiz Sérgio Moro, não hesitou em acolhê-las, tornando o Ex Presidente Lula réu.

BEM

E o sol reaparece deste lado pra terra

Lambe com o seu brilho e nos aquece

Incontáveis são os tons esverdeados



Discutíveis, pelo menos pra os sensíveis,

as surpreendentes variações de vermelho

sob nossos pés e de azul sobre nossa cabeça



Pouco importa se é um riacho ou um mar

O líquido se meche e nos atrai e atenua

O calor que o astro maior nos trouxe



Tudo é superlativo nesta tela universal

E quando a luz se incumbe doutro hemisfério

Por aqui é a hora das estrelas e dela, a lua



É Impensável não se dispor a amar

É Incompreensível abdicar de adorar

É Inimaginável se eximir de vibrar



Boas companhias que jamais nos faltaram

Gratifique com aquele desavergonhado sorriso

E não ouse desobedecer a ordem de viver bem!

PORTUGAL, UM POUCO DA SUA HISTÓRIA.

Este pequeno país “trás os montes” com os seus quase novecentos anos de história soberana, passou por tudo que podemos imaginar. Já foi dominado pelos Romanos, árabes-muçulmanos, espanhóis e franceses e já foi dominador dos brasileiros, angolanos, moçambicanos e até alguns indianos e chineses.

PERGUNTAS QUE ESTARRECEM

CADÊ VACINA?

CADÊ OXIGÊNIO?

CADÊ HOSPITAL?

BRASIL DISTÓPICO

Emendas, emendas, emendas, cada vez mais emendas e, todas, piores, mas muito piores que o soneto. Tudo começou com um “golpe” e a escolha de alguém que sequer deveria ter tido o direito de se candidatar.

Este governo é um arremedo de um remendo que não vale um moeda de três reais. Um monstro com uma cabeça patética e cínica que empesteia o país, espalha excrementos provocando emanações nauseabundas e faz-nos prisioneiros de uma DISTOPIA.

O Brasil está sob uma DISTOPIA* que deixa filmes como “Apocalipse Now”, “O Livro de Elias”, “Mad Max”, “The Rain”, “O Poço” e “Parasita” nos chinelos.

Veja o “ministério de Bolsonaro” que tem comandado o país nestes dois anos, o grande escultor da DISTOPIA.

Pazuello, Teich, Queiroga, Damares, Regina Duarte, Ernesto, Guedes, Marcos Pontes, Fábio Faria, Lorenzoni, Braga Neto, Luiz Eduardo Ramos, André Mendonça, Tereza Cristina, Augusto Heleno, Milton Ribeiro, Abraham Weintraub, Ricardo Velez Rodrigues, Decotelli, Ricardo Salles, Flávia Arruda e outros.

Afirmar que esta turma é minimamente competente, bem intencionada e proba é escarrar na nossa cara e conspirar contra a razão

É preciso pôr fim a este governo!

Torço pra que a CPI do Senado conclua pela necessidade de um Impeachment e que o parlamento não se omita, pois não nos parece ser suportável esperar 2022. Se os indícios de ilegalidade não se comprovarem, tudo bem. E que continue o governo até que o derrotemos nas eleições de 2022. 

Os brasileiros no futuro, precisarão pressionar o parlamento pra que se aprove uma legislação que criminalize os cidadãos que forem flagrados fazendo apologia à ditadura militar entre 1964 e 1985 e a governos como este chefiado por Jair Bolsonaro. 

  

* DISTOPIA significa um lugar, num dado período, marcado por um regime político opressor em que os indivíduos ficam privados dos direitos básicos, como a liberdade e os meios dignos de sobrevivência.

MINAS

Minas em mim

Montes pedras

Verdes ramos

Cinzas galhos

FOSSE EU, O PRESIDENTE

Fosse eu o Presidente da República não descansaria enquanto não criasse o ambiente mais adequado pra enfrentar o vírus. O vírus não tem inteligência, mas avança, se multiplica e varia pelos espaços disponibilizados. 

O BRANCO VERDE AMARELO QUE NÃO QUER PRETO.

No país dos brancos, cristãos e liberais, muitos pretos, sempre pobres e periféricos, são chacinados em becos sem saídas, torturados em palafitas (e hipermercados) e confinados em jaulas. 

 Ahhh, quem dera, fossem tratados como os bichos?! 

 Mas não, aos olhos dos “bons e bem criados (e armados) homens”, não passam de ervas daninhas que precisam arrancadas do solo “és mãe gentil". 

A frase do “vice”, que sequer sabia o nome de um dos vinte e sete não brancos e ricos, é emblemática: “é tudo bandido”. 

 E mesmo que fossem “27 bandidos com fichas corridas”, deveriam ter sido detidos, ouvidos, mantidos ou não presos segundo a situação de cada, mas não “acusados, julgados, sentenciados e mortos por um policial numa fração de segundos. 

 Só faltaram os bracinhos e os punhos fechados pra o alto enquanto saltita feliz pela “bem sucedida operação” na “pátria amada, Brasil”. 

 Ao branco e rico, o devido processo legal, pois somos uma “nação civilizada e democrática”, mas aos pretos pobres e periféricos, a pena capital em batidas muito bem “mal planejadas”. Afinal de contas, vinte e sete corpos e meia dúzia de fuzis como saldo soa muito estranho. Ou não?! 

 Aqui nesta terra verde e amarela, pretos, pobres e periféricos sempre são vistos como suspeitos pelo bacana engomadinho e punidos pelos seus “leões de chácara” (fardados ou não) antes que se prove o contrário. 

 A vida que o sistema tem lhes proporcionado já configura uma sentença. Pra eles sobreviver é mais que um ato de resistência. Antes que morram, segundo aquela música, “correndo nos becos que nem ratazanas” e subindo em pedreiras que nem lagartixas”.

OS “SEM NOÇÃO”



Ainda são muitos os apoiadores deste vil e odiento governo Bolsonaro. Uma gestão que tem como referenciais as teses estapafúrdias de Olavo de Carvalho, o fundamentalismo neopentecostal como delineador de condutas , o fascismo como gestão política e o neoliberalismo como modelo econômico.

SONETO 01

ESPECULAÇÃO SOBRE O TEMPO

CIRES PEREIRA Senhor imaterial das vidas humanas Divindade colossal sem seguidores Referência nada mensurável Suserano que prescinde de baju...