1 de fevereiro de 2021

SOBRE A CANALHICE

CIRES PEREIRA

A canalhice só será vencida se os canalhas forem punidos, refiro-me ao CANALHA que as comete e aos CANALHAS que nada fazem, mesmo sabendo que têm o amparo da lei, pra conterem o CANALHA.
O francês Montesquieu nasceu em 1689 e faleceu em 1755, portanto testemunhou as CANALHICES de Luís XIV e de seu sucessor Luís XV, não havia parlamento e o judiciário era tutelado pelo rei. Portanto, não havia poderes autônomos e a canalhice do governante não tinha limites. Na ocasião este pensador propôs que se promulgasse uma Constituição que pudesse limitar poder do rei, e que cada poder tivesse autonomia pra conter o outro, era a “teoria dos freios e contrapesos”.
Há, no Brasil atual, uma CONSTITUIÇÃO que limita os poderes e que estes têm autonomia entre si. Ademais é determinado ao legislativo fiscalizar e ao judiciário julgar irregularidades (e canalhices) que sejam cometidas pelo executivo. Irregularidades e canalhices estão sendo cometidas todos os dias, mas o legislativo e o judiciário as ignoram. Tudo o oposto da França do século XVIII.
Caso Montesquieu fosse brasileiro e estivesse vivo, diria em alto e bom som que não adianta aplicar sua teoria e mudar as leis se as autoridades não as cumprem. Não hesitaria em afirmar que os desmandos e os abusos das autoridades que tanto comprometem os direitos fundamentais dos governados são a expressão maior da CANALHICE.
Montesquieu, provavelmente proporia (o mesmo que propôs aos franceses de sua época) que insurgíssemos contra os CANALHAS que atentam contra nossos “fundamentais e inalienáveis direitos”. Lá, alguns anos depois da morte do filósofo, houve uma revolução que até hoje é considerada uma referência de como se deve agir diante da CANALHICE.

Nenhum comentário: