1 de fevereiro de 2021

O ESTADO DEVE SER LAICO PRA SER DEMOCRÁTICO

 Cires Pereira

É típico do tirano ou do déspota se colocar como alguém de muita fé em Deus. Apropria-se da narrativa bíblica pra reforçar sua suposta devoção e seu apego à uma religiosidade. Na maior parte das vezes consegue as bençãos de lideranças de uma dada designação (ou vertente) religiosa.

Lobo travestido em pele de cordeiro e que me perdoem os lobos e os cordeiros.

O que se tem é o mais abjeto conluio entre religião e política, sustentado por uma relação de cumplicidade em que ambos os lados (clérigos e burocratas) se fartam das benesses do poder político chefiado pelo tirano ou pelo déspota.

Sou absolutamente favorável à separação entre religiosidade e política e entre Igreja e Estado, pois acima de tudo defendo a liberdade tanto daqueles que professam um culto religioso, quanto daqueles que preferem não ter nenhum culto religioso.

Somente a ordem democrática é capacitada pra assegurar a laicidade do Estado e a liberdade religiosa. Lamentavelmente muitos destes tiranos ou déspotas aproveitam-se da ordem democrática pra alcançarem o poder e usá-lo contra esta mesma ordem democrática.

Preocupa-me muito esta relação de cumplicidade, as vezes promíscua, entre clérigos e autoridades políticas ou “temporais” que se aproveitam dia capacidade de persuasão pra arrebanharem votos para políticos, cujos propósitos são opostos ao que efetivamente farão quando eleitos e investidos de poder.

Nenhum comentário: