1 de fevereiro de 2021

NATIVA

 CIRES PEREIRA

Flor nata
Aborígene incomum
Amante d’água
A água, o lodo, madeira
A terra, o seixo, o ramo
O aroma, o ruído e silvos
A moça de juba farta
Pele com tons ocreados
E egípcio olhar ocupante
Como nos farta vê-la
Se imiscuindo no rego
Se esbaldando na queda
Se espalhando na copa
O sorriso?! hour concour
Parecido com os deles
Os bichos que voam
As Borboletas, os canários e os sabiás
A nativa não voa, mas parece que flutua
No embalo que a mãe natureza imprime.
Sopra e só pra ela

Nenhum comentário: