1 de fevereiro de 2021

BRASIL DAS SILBRAS

 CIRES PEREIRA


Ora mastodôntico, ora virótico
As vezes isso, outras vezes aquilo
Sempre quase, nunca talvez
Dias carnaválicos, dias cinzísticos
Agora branquelo, logo enegrecido
Aqui caleidoscópico, ali monocromático
A alguns rígido, a outros flexível
Pra aqueles vermelhos, pra muitos anil
Surpreendente nem sempre, previsível quase sempre
Pra lá o aqui é atraso, mas pra aqui, lá é defasado
Eles nos pressionam, nós impressionamos
Chão de contrastes, terra de exclusão
Continental e largo, fino e desamparado
Tanto grosso e cascudo quanto sutil e suave
Calorento e amável, odiento e friento
Território tão largo e povo tão estreito
Mas às vezes igualmente largo
Seu SIL que canta merece o BRA que flama
Ainda que alguns pensem ser deles e (não) é!
Saibam que num porvir não muito distante
Ainda será nosso, o "Brasil das Silbras"

Lutemos pra que sejas!

Nenhum comentário: