SOBRE ESTE GOVERNO E A NECESSIDADE DE UM OUTRO

CIRES PEREIRA

A escolha e a demissão de um Ministro provocam reações diversas. Erroneamente muitas destas reações limitam-se a analisar o escolhido ou o demitido. Suas qualidades ou a falta delas e a pertinência da escolha. 

Pouco ou nada se fala sobre quem fez esta escolha (presidente), que critérios teria sido usados na escolha, o conchavo que originou a escolha e a justificativa desta escolha. 

O Presidente montou um plano e nomeou pessoas pra estarem à frente deste plano de governo. O que se nota até o momento é uma inépcia gerencial, que muitos jocosamente denominam de “desgoverno”. Não existe “desgoverno”, o propósito de Bolsonaro sempre foi de desmontar, descontinuar e inviabilizar o que fora construído. É o que tem sido feito, com uma surpreendente rapidez. 

E .... fica nisto!

Este governo não tem construído algo novo, o que não me surpreende, pois Bolsonaro venceu as eleições sem apresentar um programa de governo exequível. Não é segredo pra ninguém que o então candidato Bolsonaro se esquivava de toda e qualquer discussão sobre seu programa. 

Inventou até uma frase pra encerrar quaisquer questionamentos endereçados a ele: “Fale com o Posto Ipiranga”, neste caso o Paulo Guedes, hoje um de seus ministros.

Não havendo uma interrupção de seu mandato até início de 2023, este governo não colocará um só tijolo no lugar onde tirou tantos. É um governo que destrói e não reconstrói. Continuará criando factoides pra “entreter” a sociedade, a mídia e demais agentes públicos até que seu mandato expire. Não medirá esforços pra continuar por mais quatro anos, por isso essa obsessão em “aparelhar” tudo, não só no governo, mas em todo o Estado.

Não vejo outra alternativa pra interromper esta trajetória de destruição, senão uma frente de oposição que retome o diálogo com a sociedade civil e seja convincente. Que coopte a maioria que não votou e não votaria neste “governo de destruição”.

Esta frente precisa ser ampla e imbuida de alguns propósitos que unam seus aderentes como por exemplo: 

  1. o compromisso em preservar o Estado Democratico de Direito; 
  2. a retomada do crescimento econômico com um envolvimento maior do Estado;
  3. o restabelecimento do diálogo internacional que retome uma concertação mundial em defesa do multilateralismo sob o comando dos órgãos multinacionais como a ONU;
  4. a defesa de uma política visando reduzir as desigualdades sociais através de políticas de reparação social, do pleno emprego e aumento da renda;
  5. o compromisso com as agendas em defesa das minorias, do meio ambiente e da educação e
  6. o combate sistemático ao desperdício e à corrupção.
Todas as forças políticas: (liberais, democráticas, socialistas, trabalhista) e organizações da sociedade civil têm neste momento uma tarefa inafastável: conter a facistização do Estado, colocando-se em defesa do Impeachment do presidente, e reconstruir o Brasil pra que seja de fato uma terra de todos os brasileiros e todas brasileiras.

Não queremos o Brasil acima de tudo, mas um Brasil que seja de todos e todas!

Comentários