DAVI HUMANIZADO



É sabido que a predileção de Edgar Degas sempre foi retratar bailarinas e os universos destas bailarinas na dança e na música. Mas por um período, entre 1858 e 1865, Degas priorizou temas bíblicos, e um destes temas foi o famoso duelo entre Davi e o gigante Golias, uma narrativa constante no "Velho Testamento". 

Davi, embora mais frágil e franzino, valeu-se de sua coragem, esta “regada à fé num só Deus” e de sua destreza pra derrotar o seu antagonista, Golias, líder dos Filisteus. Neste duelo, Golias avançou contra Davi que, rapidamente, colocou uma pedra em sua atiradeira e atirou contra o gigante. A pedra acertou na testa de Golias, que caiu para o chão sem dar mais sinais de vida. Davi correu, tirou a espada de Golias e o decapitou. Os filisteus então recuaram e os israelitas triunfaram.


Degas concebeu o seu “Davi” em 1857. O impressionista francês, optou por tomar tomou como referências dois “Davis” que visitou e “estudou” na Itália. O “Davi” do renascentista italiano Donatello, feito em 1440 e o “Davi” de Gian Bernini, este esculpido em 1623-24.


Estes três se somam ao mais famoso de todos, o Davi de Michelangelo, um colosso esculpido no mármore entre 1501 e 1504, pra retratarem, numa dimensão humana, uma personalidade bíblica tão cara aos judeus e aos cristãos. Michelangelo, ao invés de retratar Davi vitorioso sobre um oponente muito superior, flagra-o num instante tomado de tensão antes de seu confronto decisivo.


Deleitem-se com estas quatro grandes obras de arte

1- Davi de Degas, no Museu Fitzwilliam em Cambridge (Inglaterra)
2- Davi de Bernini, encontra-se na Galeria Borghese em Roma
3- Davi de Donatello, no Museo Nacional de Bargello em Florença
4- Davi de Michelângelo, em Florença

Comentários