REFLEXÃO SOBRE O PAPEL DO PROFESSOR (COM ÊNFASE DO PROFESSOR DE HISTÓRIA NO CICLOS BÁSICOS DE ENSINO)

Professor Cires Pereira

O dia dos professores é comemorado, anualmente, no dia 15 de outubro, por conta de um decreto assinado durante o governo João Goulart.

1 - Professores de História


Nos cursos de Licenciatura e/ou Bacharelado em História, um capítulo especial destina-se à “História do Pensamento”: neste contatamos com teóricos de todas as áreas do conhecimento. Apreendemos, mais do que compreendemos, sobre vários teóricos de divergentes matizes e de diversas épocas e lugares.

Nas aulas de História ministradas pelos “licenciados em História” e destinadas aos estudantes dos ciclos básicos, o intuito principal é disponibilizar um conhecimento básico sobre estes teóricos, sobretudo aqueles que, por convenção científica, são mais significativos e que sejam mais adequados à temática no momento tratada.

Obviamente que esta exposição de saberes não pode estar dissociada das realidades materiais das diversas sociedades em estudo.

Deste modo, é previsível que numa aula sobre a Europa Medieval sejam apresentados intelectuais, bem como suas contribuições, como Dante Alighieri e São Tomaz de Aquino e, numa aula sobre o século XIX, sejam explicitadas e explicadas algumas ideias de Auguste Comte, David Ricardo e Karl Marx, dentre outros tantos.

Noutro capítulo, tratado na Academia de História e igualmente relevante, diz respeito à “História das Artes, Filosofia e Literatura” e, como descrito acima, faz também parte do universo abordado pelo professor de História.

Frise-se, ficamos na apresentação, explico. Não há, por parte do professor de História, nenhuma pretensão em iniciar e encerrar as discussões sobre os temas, intelectuais, artistas e filósofos. Primeiro porque não nos compete, pois pouco sabemos sobre os mesmos. Que fique esclarecido que é numa aula de Literatura que o aluno terá como aprofundar sobre Alighieri e sua “Divina Comédia”, Jorge Amado e sua “Gabriela”, etc. Nas aulas de Filosofia que Marx, Auguste Comte, Platão e suas respectivas contribuições para o pensamento humano serão explicados com mais profundidade e, minimamente, compreendidos.

Pela natureza peculiar à Ciência da História, é praticamente impossível compreender uma sociedade, presente ou pretérita e aqui ou lá, se nos detivermos apenas à uma das correntes do pensamento, a qual o professor de História esteja alinhado.

Os professores diplomados na Licenciatura de História são devidamente instruídos a transmitir o conhecimento e a fazer o melhor uso do mesmo para aplicar nas relações que se devem fazer, por exemplos entre passado e presente e entre uma e outra sociedades de distintos espaços.

Muito se fala por ai, sem comprovações devidas, que as aulas de História nos ciclos básicos tem servido às conveniências de uma corrente do pensamento que, “a priori”, cooptara aquele(a) professor(a). É possível que isto ocorra? Pontualmente sim, mas não como algo maquinado nos Cursos de Licenciaturas e/ou entre as paredes de um Partido Político.

O profissional licenciado em História, como qualquer outro profissional de distintas áreas e ofícios, tem uma reputação a zelar que se constrói no labor diuturno. Entre os professores de História, tem aqueles que tiveram uma preparação mais limitada, que não tiveram condições de constatarem “in loco” vários dos saberes apreendidos ou sequer condições de terem uma biblioteca pública e recursos pra adquirirem livros importantes para sua formação.

Este é um problema comum em todas as áreas e em todos os ofícios. Felizmente, no exercício da profissão, muitos de nós enfrentamos e debelamos algumas limitações pontuais.


2 - Professores em geral

Aos meus colegas de profissão devo reiterar que nossos obstáculos tem sido cada vez maiores, temos sido pouco ou mal compreendidos por uma parte de nossos alunos e seus familiares além, claro, de sermos alvos de perseguição por parte de alguns agentes públicos e certas lideranças políticas mal intencionados. Estas perseguições decorrem de uma suspeição, a de que temos nos tornado "doutrinadores" em sala de aula. Uma suspeição vil por ser carente de indícios é generalizante. Aos que levantam a suspeita e acusam, o convite pra que acompanhem de perto o trabalho do professor numa sala de aula.

O Professor, como qualquer outra pessoa, é também um formador de opinião e, se flagrado doutrinando, deveria ser retirado do espaço escolar, pois há outros espaços legítimos para isto, como o Partido Político e a Instituição Religiosa ou movimentos sociais.

Insisto que as escolas dispõem de profissionais que fazem este acompanhamento e, segundo seus critérios e regimentos, saberão dispensar aqueles que não cumprirem as exigências do ofício. Assim é em qualquer outro empreendimento social como ou sem finalidade de lucros.

Não devemos nos eximir de explicitarmos nossas opiniões, mas sempre deixando claro tratar-se de um juízo ou posicionamento dentre outros tantos e igualmente legítimos sobre o mesmo fato ou a mesma sociedade em análise.

Jamais devemos reduzir a nota do aluno que tenha deixado, em sua avaliação, sua divergência sobre o tema sugerido. Sempre reitero aos colegas e aos alunos que o mais importante no processo avaliativo é a riqueza da argumentação, demonstrativa do conhecimento sobre o tema, do que propriamente o julgamento que este venha a fazer sobre o tema exigido.

Sigamos em frente, com determinação e serenidade, mas sempre dispostos a ouvir sugestões dos alunos, dos demais colegas, de nossos diretores e supervisores pedagógicos e dos pais. Afinal de contas as Ciências, as Artes e as Linguagens não podem servir às conveniências desta ou daquela corrente ideológica. Os profissionais que se encarregam de apresenta-las e minimamente explica-las às crianças e aos jovens dos ciclos básicos, bem muito bem que o conhecimento só tem serventia se for transmitido, do contrário não será usado, comprometendo o futuro e o presente de todos.

Que neste 15 de outubro de 2019, esta e outra reflexões sejam feitas pelos colegas professores, os quais nutro profundo respeito e admiração. Parabéns pra todos vocês!

Comentários