15 de setembro de 2019

Os (não tão) novos desafios da educação

Cires Pereira
Resultado de imagem para educação

De todas as ferramentas para o melhor uso do conhecimento, a educação é a mais importante por ser basilar, portanto imprescindível. Educação no sentido mais largo que se possa imaginar.

Ela está (e precisa continuar) em todos os lugares. Na rua, no botequim, na família, no boite, no clube, na Igreja e nas escolas também, a educação é o sintoma mais óbvio de nossa diferença em relação aos demais seres vivos, pois pela educação praticamos e reconhecemos nossa cognição. A educação se dá entre amigos, os adversários, os familiares, colegas do trabalho, colegas na escola, entre clérigos e seus fiéis, entre professores e alunos. E por aí vai...

A educação nunca foi e jamais poderá ser impedida, pois os seres humanos somos seres sociáveis e precisamos dos outros pra adquirir conhecimento e usá-lo segundo nossas necessidades e vontades.

Não pode haver restrições ao acesso ao que já foi conhecido e teorizado. Neste tempo recente, este imperativo nunca foi tão óbvio, em razão das facilidades do acesso ao que se conhece aqui e em qualquer outra parte do planeta. Quasectudo em tempo real.

É óbvio que critérios precisam ser pensados e aplicados em escalas internacional, nacional e local. Critérios que levem em conta a gradação na transmissão do conhecimento segundo faixa etária, ciclo de aprendizagem e demandas locais diversas. 

É na escola que nossas crianças e nossos jovens adquirem parte maior deste conhecimento, mas jamais pode ser somente lá. Quando nos posicionamos pela pluralidade e laicidade de uma escola é porque temos consciência de que o conhecimento não pode ser prisioneiro de dogmas, refém de limites impostos por uma matriz ideológica ou a avassalado pela postura política deste ou daquele grupo, deste ou daquele governo.



Todo o conhecimento é bem vindo, não importa donde veio ou quando é por quem foi concebido. Nós, que somos adultos (parentes, professores, amigos, clérigos, artistas, escritores, etc), podemos e devemos contribuir com a instrução e a educação destes que hoje se preparam pra o ocuparem os espaços que hoje ocupamos.


Plantemos em nossas crianças e nossos jovens hoje, o que queremos ou sonhamos pra amanhã!

Nenhum comentário: