24 de julho de 2019

VAZA JATO - O INVERNO JÁ COMEÇOU

Nada é melhor que um dia após outro: o embarque de Sérgio Moro no governo Bolsonaro foi um bom negócio pra o governo. Seis meses depois, Moro passou a ser um PESO, ainda que o governo não admita em público.

Mantê-lo no governo compromete o “derradeiro bastião” de boa imagem que dispunha Bolsonaro perante seus eleitores.

O dito popular “não basta ser honesto é preciso parecer ser honesto”, aqui se inverte: “não basta parecer ser honesto, é preciso ser honesto”. As primeiras revelações sinalizam a formação de um arranjo pra aviltar a lei, Moro e Dallagnol à frente.

A escola do jornalismo estadunidense é célebre numa estratégia que chega a “mover até montanhas”, presidentes inclusos. Primeiro denúncia um dolo menor pra fazer com que o denunciado se mova. A ideia é que o denunciado seja “enforcado pelas próprias tripas” quando outras denúncias, ainda mais “cabeludas”, forem feitas.

Richard Nixon e Gerald Ford (ex-presidentes dos EUA) não me deixam mentir. Suas reputações foram aniquiladas devido ao Escândalo Water Gate de 1973. Este não teria ocorrido sem a meticulosa investigação dos jornalistas  do “Washington Post”, Bob Woodward e Carl Berstein.

O jornalista Glenn Greenwald é a melhor e mais atual expressão desta “escola americana”. Não foi por acaso o seu prêmio Pulitzer de Jornalismo por matéria muito semelhante a esta que abala as colunas de sustentação da República.

Confesso que não esperava tanto amadorismo do governo em manter a carniça que tanto empestia o Planalto. Talvez porque o Planalto já esteja acostumado com as emanações nauseabundas desde agosto de 2016, agudizadas desde janeiro de 2019.

Em Brasília o inverno é muito seco e já começou!

Nenhum comentário: