MAR MANSO

CIRES PEREIRA
Enquanto o mar lambe e granula a areia
O leve vento espraia aromas
Das pedras, das folhas e de nós.
Em cima as nuvens planam na cobalta abóboda.
Aqui, o cão sob seu coqueiro adormece em sua areia.
Longe no mar, a barca leva os locais
Que trocam peixes pelo pão de seus dias

Testemunho a vida
Manso mar que lentamente me entardece
Lento, pleno.
Pleno, vivo.
0