4 de junho de 2017

RESOLUÇÃO PROVA DE HISTÓRIA 2ª FASE VESTIBULAR UFU JUNHO 2017

PROFESSOR CIRES PEREIRA




1ª QUESTÃO
BARRETO, Benedito Bastoa. O caricaturista "Belmonte" (s.d.São Paulo-SP)

A gravura faz ironia a um importante movimento cultural, ocorrido na capital paulista, inserido no contexto da comemoração do centenário da independência do Brasil. Os seus integrantes propunham, entre outras coisas, a superação do "antigo" pelo "novo". A partir desse enunciado, faça o que se pede.

a) Indique o movimento cultural e a natureza da atividade profissional de seus integrantes, apontando a principal reivindicação feita por eles.

b) Caracterize o cenário econômico e político do país no contexto da Primeira república , período em que se realizou o movimento cultural retratado na charge.

RESOLUÇÃO

a) O movimento cultural é a Semana de Arte Moderna ocorrido em em fevereiro de 1922 no teatro Municipal de São Paulo. Integrado pela classe artística, pintores, escultores, poetas e músicos. Reivindicavam uma nova abordagem para a expressão artística no Brasil mais alinhada com a modernidade europeia sem abdicar da brasilidade.

b) A Primeira república no Brasil, entre 1889 e 1930 foi marcada no plano econômico pelo domínio das atividades agrária e pelo modelo agroexportador. No plano político a elite agrária comandava as ações por meio do "voto de cabresto". É a época da política café com leite, numa alusão as oligarquias do Eixo Minas- São Paulo. A república continuava as práticas centralizadoras do Império, através da "política dos governadores", que controlavam, o poder local através dos coronéis e sustentavam os presidentes.

2ª QUESTÃO

A menina Presidência
Vai rifar seu coração
E já tem três pretendentes,
Todos três chapéu na mão.
E quem será?
O homem quem será?
Será seu Manduca?
Ou será seu Vavá?
Entre esses dois
Meu coração balança,
Porque
Na hora H quem vai ficar
É “seu” Gegê.
Agora todo mundo dá palpite,
Mas eu sei que no fim ninguém se explica.
É ligar, deixar como está,
Pra depois então se ver como é que fica.
O homem quem será?
Será seu Manduca?
Ou será seu Vavá?
Entre esses dois
Meu coração balança,
Porque
Na hora H quem vai ficar
É “seu” Gegê.


(A Menina Presidência - Silvio  Caldas, 1937)

A Letra da canção, produzida nos anos de 1930, retrata, via manifestação cultural, a situação da política nacional, em especial, a disputa pelo cargo de Presidente da República. Considerando essa afirmação, faça o que se pede.

a) Aponte o gênero musical a que se refere a letra e cite as condições técnica e política que permitiram a sua popularização junto à sociedade brasileira, naquele contexto.

b) Indique um importante fato político referenciado de forma irônica na letra de Sílvio Caldas, identificando o seu principal protagonista.


RESOLUÇÃO
a) Trata-se de uma marcha de carnaval. A letra faz referência aos dois candidatos à Presidência da República: Armando Salles de Oliveira, o "seu Manduca", e Oswaldo Aranha, o "seu Vavá". Contudo quem ficou no governo foi Getúlio Vargas ou "Seu Gegê", ao decretar o golpe de Estado em 1937. Este é um momento de popularização da música graças à radiodifusão, conhecido como a "era do rádio".

b) O fato político foi a decretação da ordem ditatorial em 1937, conhecida como o "Estado Novo" pelo então presidente Getúlio Vargas.

OBS: A letra da canção não é de autoria de Sílvio Caldas que foi o intérprete, mas Antônio Nássara e Cristóvão de Alencar.


3ª QUESTÃO

A charge representa um dos momentos mais críticos da história contemporânea: o conflito dos mísseis em Cuba. Mostra o primeiro ministro russo, Nikita Kruschev, e o presidente americano, John Kennedy, em uma queda de braço, simbolizando o momento em que a guerra-fria se desloca das fronteiras da Europa para América. O conflito impunha uma nova realidade aos pactos militares tratados na Europa e reacendia a tensão de um conflito nuclear. Com base nesse contexto, responda: 

A) O que foi o Pacto de Varsóvia e como ele atuou na tensão entre os blocos socialistas e capitalistas? 
B) Quais foram as principais tensões entre EUA e Cuba durante a Guerra Fria?

RESOLUÇÃO 
a) O Tratado de Varsóvia, criado em 1955, constituiu-se num bloco militar envolvendo os países do leste europeu comandados por governos alinhados à URSS do líder Nikita Kruschev. Sua função era proteger estes países da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico do Norte), uma coalizão militar e internacional que unia as nações capitalistas da Europa Ocidental e os Estados Unidos da América. Desde sua criação sua atuação se limitou a intervenções, comandadas pela URSS, nos países aliados cujos governos enfrentavam dissensões internas como na Tchecoslováquia em 1968. 

b) Desde a queda de Fulgêncio Batista em 1959, os EUA passaram a lidar com um governo cubano não alinhado ou hostil à sua liderança. Como o governo Fidel castro se alinhava ao bloco socialista liderado pela URSS, os governos americanos trataram de reagir valendo-se de uma série de expedientes, a saber: o embargo comercial, decretado logo após o estabelecimento do governo Fidel; o anúncio da “Aliança Pelo Progresso” que consistia num projeto de auxílio estadunidense aos governos alinhados desde que se mantivessem contra o regime cubano e dispostos a combaterem as esquerdas em seus países; o isolamento diplomático regional com a expulsão de Cuba da OEA em 1962; o treinamento e o financiamento de oponentes do regime pra que pudessem iniciar uma luta armada contra Castro (operação malograda abril de 1961 na Baia dos Porcos). 

Por fim, a Crise dos Mísseis, como mostra a figura, pode ser considerado momento de maior tensão entre os EUA, a URSS e Cuba. Os EUA descobriram que bases de lançamento de mísseis nucleares, de fabricação soviética, estavam sendo instalados em Cuba e deram um "ultimatum" pra que Kruschev as desativasse, sob pena de uma reação na “mesma proporção”. Na iminência de expirar o prazo, a URSS recua e evita a confrontação.

4ª QUESTÃO
Leia o texto a seguir.
Associação propõe suspender voto de quem recebe Bolsa Família No Paraná, associação comercial propõe a candidatos a defesa da ‘suspensão do direito ao voto’ para beneficiários de programa. Se fosse adotada agora, medida prejudicaria Dilma Rousseff. A ideia já tinha aparecido em redes sociais e até em cartazes nas manifestações de rua de 2013. Agora, porém, foi assumida formalmente pela Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Ponta Grossa, município paranaense de 334 mil habitantes, a quase cem quilômetros de Curitiba. Em documento que está apresentando aos candidatos a cargos do Legislativo, a entidade propõe o fim do voto para quem é beneficiário do Bolsa Família. O texto não cita o programa, que beneficia 13,8 milhões de famílias no País. Mas é explícito, ao propor ao candidato a defesa do seguinte ponto: “Suspensão do direito ao voto para beneficiados de qualquer programa de transferência direta de renda, nas esferas municipal, estadual ou federal.” O documento provocou reações. Foi criticado por ferir direitos previstos na Constituição.

[...] ARRUDA, Roldão. O Estado de São Paulo. 10 Set. de 2014. Disponivel em: Acesso em: 23 abr. 2017. 

O texto, do jornalista Roldão Arruda, leva a pensar que, ao longo da história brasileira, sempre houve limitações para que alguns segmentos da sociedade participassem do voto. Há exemplos disso também nos EUA, quando houve a restrição de mulheres e homens que não tinham renda compatível com as exigências da época. 

Relacionando o contexto da matéria jornalística com a participação popular na política ao longo da história brasileira, responda: 

A) Como a Primeira Constituição de 1824 organizou a participação da sociedade na política? 
B) Quais foram as principais mudanças eleitorais implantadas no período Vargas?

RESOLUÇÃO
A) Em 1823, um Conselho foi instalado e presidido por D Pedro I para a elaboração e aprovação da Constituição que foi outorgada no ano seguinte. O poder público se dividiu em 3 poderes, contudo criou um "quarto" - o Moderador, exercido exclusivamente por D. Pedro - que ficaria acima dos três poderes. O sistema eleitoral adotado foi seletivo e elitista, pois instituiu o voto censitário, masculino e com idade superior a 25 anos, havendo uma concessão aos casados e oficiais militares acima de 21 anos e a todos os clérigos e bacharéis.

B) No governo Vargas (1930-1945) foi instituído um Código Eleitoral em 1932 que assegurava o direito de votar a todos os brasileiros de ambos os sexos e acima de 21 anos, bem como aos estrangeiros registrados no país. Este Código foi mantido na Constituição de 1934 com pequenos reparos, todos universalizantes, a saber: a idade mínima passa a ser de 18 anos, o voto tornava-se secreto e os pleitos com dois turnos.
Postar um comentário