4 de dezembro de 2016

ENEM 2016-2 DEZEMBRO RESOLUÇÃO CIÊNCIAS HUMANAS - HISTÓRIA

PROFESSOR CIRES PEREIRA


02) Na imagem, o autor procura representar as diferentes gerações de uma família associada a uma noção consagrada pelas elites intelectuais da época, que era a de 



A) defesa da democracia racial.
B) idealização do universo rural.
C) crise dos valores republicanos.
D) constatação do atraso sertanejo.
E) embranquecimento da população.



RESOLUÇÃO: Esta obra apresenta uma família que sintetiza a mestiçagem (avó negra, mãe morena, neta branca) e, por isso, usada como justificação das elites desejosas de um processo de adaptação da sociedade brasileira aos padrão nacional tendo como referência o padrão europeu.


03) O mercado tende a gerir e regulamentar todas as atividades humanas. Até há pouco, certos campos – cultura, esporte, religião – ficavam fora do seu alcance. Agora, são absorvidos pela esfera do mercado. Os governos confiam cada vez mais nele (abandono dos setores de Estado, privatizações).
RAMONET, 1. Guerras do século XXI. novos temores e novas ameaças. Petrópolis: Vozes, 2003. 


No texto é apresentada uma lógica que constitui uma característica central do seguinte sistema socioeconômico:


A) Socialismo. 
B) Feudalismo. 
C) Capitalismo. 
D) Anarquismo. 
E) Comunitarismo. 

RESOLUÇÃO: Este texto destaca mais o modelo liberal clássico, um dos aplicados pelo capitalismo quando de sua consolidação. Uma questão com um texto que pouco dialoga com as alternativas e com algumas alternativas igualmente questionáveis como "anarquismo" e "comunitarismo".

06) “Precauções que aconselhamos à Sua Alteza, o Sr. Conde D’Eu, quando tiver de visitar escolas. Se Sua Alteza imitasse o seu augusto sogro, Dom Pedro II, não teria nunca ocasião de contestar fatos históricos”.

AGOSTINI, A. Revista lllustrada, n 309, 29 jul. 1882 (adaptado) 


Segundo a charge, os últimos anos da Monarquia foram marcados por 

A) debates promovidos em espaços públicos, contando com a presença da família real. 
B) atividades intensas realizadas pelo Conde D’Eu, numa tentativa de salvar o regime monárquico.
C) revoltas populares em escolas, com o intuito de destituir o monarca do poder e coroar o seu genro.
D) críticas oriundas principalmente da imprensa, colocando em dúvida a continuidade do regime político. 
E) dúvidas em torno da validade das medidas tomadas pelo imperador, fazendo com que o Conde D’Eu assumisse o governo. 


RESOLUÇÃO: Era recorrente no curso da decadência do II Império as críticas expressas pela imprensa como o "Revista Ilustrada" de 1882. A "questão religiosa" de 1873 e a "questão militar" de 1870 figuravam entre os ingredientes do recrudescimento da crise política. Em ambas era preocupante a perda, pela monarquia, do apoio de importantes setores da elite nacional como os bispos católicos e os militares, respectivamente.


07) Quando surgiram as primeiras notícias sobre a presença de seres estranhos, chegados em barcos grandes como montanhas, que montavam numa espécie de veados enormes, tinham cães grandes e ferozes e possuíam instrumentos lançadores de fogo, Montezuma e seus conselheiros ficaram pensando: de um lado, talvez Quetzalcóatl houvesse regressado, mas, de outro, não tinham essa confirmação. 

PINSKY, J. el ai. História da América através de textos. São Paulo: Contexto, 2007 (adaptado) 

A dúvida apresentada inseria-se no contexto da chegada dos primeiros europeus à América, e sua origem estava relacionada ao 

A) domínio da religião e do mito. 
B) exercício do poder e da política. 
C) controle da guerra e da conquista. 
D) nascimento da filosofia e da razão. 
E) desenvolvimento da ciência e da técnica.

RESOLUÇÃO: Entre os nativos congregado em torno do Império Asteca havia um mito sobre a origem do universo resultante da guerra entre os Deuses Texcatlipoca e Quetzalcóatl. Derrotado e desterrado, Quetzalcóatl prometera voltar. O Imperador Montezuma, dos Astecas, teria suspeitado de que a presença dos conquistadores espanhóis, no início do século XVI, fosse o retorno da divindade contra a qual não poderia nada fazer. 

08) Quando a Corte chegou ao Rio de Janeiro, a Colônia tinha acabado de passar por uma explosão populacional. Em pouco mais de cem anos, o número de habitantes aumentara dez vezes.

GOMES. L. 1808: como uma rainha louca. um príncipe medroso e uma Corte corrupta enganaram Napoleão e mudaram a história de Portugal e do Brasil. São Paulo: Planeta do Brasil. 2008 (adaptado). 

A alteração demográfica destacada no período teve como causa a atividade 

A) cafeeira, com a atração da imigração europeia. 
B) industrial, com a intensificação do êxodo rural. 
C) mineradora, com a ampliação do tráfico africano. 
D) canavieira, com o aumento do apresamento indígena. 
E) manufatureira, com a incorporação do trabalho assalariado. 

RESOLUÇÃO: No século XVIII o Brasil colonial passou a ter como atividade econômica principal, a mineração. Esta realidade atraiu muitos investidores e trabalhadores das áreas colonizadas, da metrópole e da África. O tráfico de mão de obra originária da África aumentou significativamente.

10) A interpretação da imagem demonstra que a distribuição de países onde se dirige do lado direito coincide, em grande parte, com a zona de influência ou dominação exercida pela


A) Índia. 
B) Austrália. 
C) Inglaterra. 
D) Indonésia. 
E) África do Sul.

RESOLUÇÃO: A Inglaterra foi pioneira no processo de industrialização, logo a primeira nação a demandar mercados consumidores para a absorção de seus excedentes e áreas onde fosse possível a aplicação de excedentes de capitais. O mapa acima, apresenta o domínio britânico, no final do século XIX, sobre mercados fora da Europa, tais como o sul da África, o sul da Ásia e a Oceania.

14) As convicções religiosas dos escravos eram entretanto colocadas a duras provas quando de sua chegada ao Novo Mundo, onde eram batizados obrigatoriamente “para a salvação de sua alma” e deviam curvar-se às doutrinas religiosas de seus mestres. Iemanjá, mãe de numerosos outros orixás, foi sincretizada com Nossa Senhora da Conceição, e Nanã Buruku, a mais idosa das divindades das águas, foi comparada a Sant’Ana, mãe da Virgem Maria.

VERGER. P. Orixás. deuses iorubás na África e no Novo Mundo. São Paulo: Corrupio, 1981. 

O sincretismo religioso no Brasil colônia foi uma estratégia utilizada pelos negros escravizados para:

A) compreender o papel do sagrado para a cultura europeia. 
B) garantir a aceitação pelas comunidades dos convertidos. 
C) preservar as crenças e a sua relação com o sagrado. 
D) integrar as distintas culturas no Novo Mundo. 
E) possibilitar a adoração de santos católicos.


RESOLUÇÃO: Os escravos afro-americanos, residentes no Brasil Colônia, em sua maioria, optaram por se adequar ao catolicismo como um meio para a preservação de seus cultos e crenças originárias da África. Obrigados a se converterem ao catolicismo, homens e mulheres de origem africana valiam-se também de suas adorações nativas, estabelecendo uma espécie de conversão de uma divindade de origem africana a um determinado vulto bíblico ou divindade católica. Iemanjá tornou-se Nossa Senhora da Conceição e Nanã Buruku em Sant’Ana, mãe de Maria que era mãe de Jesus.


18) A imagem da relação patrão-empregado geralmente veiculada pelas classes dominantes brasileiras na República Velha era de que esta relação se assemelhava em muitos aspectos à relação entre pais e filhos. O patrão era uma espécie de “juiz doméstico” que procurava guiar e aconselhar o trabalhador, que, em troca, devia realizar suas tarefas com dedicação e respeitar o seu patrão.

CHALHOUB, S. Trabalho, lar e botequim: o cotidiano dos trabalhadores do Rio de Janeiro da Bel/e Époque. Campinas. Unicamp, 2001.

No contexto da transição do trabalho escravo para o trabalho livre, a construção da imagem descrita no texto tinha por objetivo

A) esvaziar o conflito de uma relação baseada na desigualdade entre os indivíduos que dela participavam.
B) driblar a lentidão da nascente Justiça do Trabalho, que não conseguia conter os conflitos cotidianos.
C) separar os âmbitos público e privado na organização do trabalho para aumentar governos a eficiência dos funcionários.
D) burlar a aplicação das leis trabalhistas conquistadas pelos operários nos primeiros governos civis do período republicano.
E) compensar os prejuízos econômicos sofridos pelas elites em função da ausência de indenização pela libertação dos escravos.

RESOLUÇÃO: A ideia era reduzir a tensão entre as classes devido à impossibilidade de vislumbrar objetivos congruentes e covergentes entre o proletariado e as elites urbanas e rurais. Preocupados com o avanço das ideologias revolucionários no seio do movimento popular, as elites trataram de se valer desta retórica para justificar o emprego da violência contra aqueles que insistiam numa conduta de enfrentamento, como eram os casos dos anarco-sindicalistas brasileiros no início do século XX, ainda antes do ocaso da 1ª República.



19) TEXTO I
Dezenas de milhares de pessoas compareceram à maior manifestação anti-troika (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e FMI) em Atenas contra a austeridade e os cortes de gastos públicos aprovados neste domingo no parlamento grego.

Disponlvel em:www.cartamaiorcom.br. Acesso em: 8 nov. 2013.

TEXTO II
As políticas de austeridade transferem o ônus econômico para as classes trabalhadoras. Para diminuir os prejuízos do capital financeiro, socializam as perdas entre as classes trabalhadoras. O capitalismo não foi capaz de integrar os trabalhadores e ao mesmo tempo protegê-los.

Entrevista com Ruy Braga. Revista IHU online. Disponlvel em: www.ihu.unisinos.br. Acesso em: 8 nov. 2013 (adaptado).


Diante dos fatos e da análise apresentados, a política econômica e a demanda popular correlacionada encontram-se, respectivamente, em 

A) controle da dívida interna e implementação das regras patronais.
B) afrouxamento da economia de mercado e superação da lógica individualista. 
C) aplicação de plano desenvolvimentista e afirmação das conquistas neoliberais.
D) defesa dos interesses corporativos do capital e manutenção de direitos sociais.
E) mudança na estrutura do sistema produtivo e democratização do acesso ao trabalho.

RESOLUÇÃO: Ambos os textos consideram a reação automática dos setores populares que mais dependem das políticas públicas visando manter seus "direitos sociais" contra ajustes econômicos feitos pelos governos para agradar os credores da dívida pública mobiliária ou financeira ou em "defesa dos interesses corporativos."

22) A Lei das Doze Tábuas, de meados do século V a.c, fixou por escrito um velho direito costumeiro. No relativo às dívidas não pagas, o código permitia, em última análise, matar o devedor; ou vendê-lo como escravo “do outro lado do Tibre” - isto é, fora do território de Roma.

CARDOSO, C. F. S. O trabalho compulsório na Antiguidade. Rio de Janeiro: Graal, 1984.

A referida lei foi um marco na luta por direitos na Roma Antiga, pois possibilitou que os plebeus:

A) modificassem a estrutura agrária assentada no latifúndio.
B) exercessem a prática da escravidão sobre seus devedores.
C) conquistassem a possibilidade de casamento com os patrícios.
D) ampliassem a participação política nos cargos políticos públicos.
E) reivindicassem as mudanças sociais com base no conhecimento das leis.

RESOLUÇÃO: Houve uma pressão por parte dos setores excluídos ou plebe contra a manipulação recorrente feita pelos patrícios para a preservação de regalias. Com a Lei das Doze Tábuas, as normas passam a ser de conhecimento geral, dificultando sua manipulação ou interpretação que beneficiava as elites.

24) 

A charge faz alusão à intensa rivalidade entre as duas maiores potências do século XX. O momento mais tenso dessa disputa foi provocado pela

A) ampliação da Guerra do Vietnã.
B) construção do muro de Berlim.
C) instalação de mísseis em Cuba.
D) eclosão da Guerra dos Sete Dias.
E) invasão do território do Afeganistão.

RESOLUÇÃO: A charge alude à crise dos Mísseis entre os governos de Moscou e de Washington no início dos anos 1960. Nikita Krustchev e Kennedy travaram uma guerra de nervos após o governo dos EUA ter tomado conhecimento do deslocamento de equipamentos de lançamento de mísseis para Cuba, país próximo aos EUA. Faltando pouco tempo para expirar o ultimatum de Kennedy, a URSS optou por retira-los. Não sem antes obter junto aos EUA a promessa de que não invadiriam a ilha sob governo alinhado a Moscou.

27) A história não corresponde exatamente ao que foi realmente conservado na memória popular, mas àquilo que foi selecionado, escrito, descrito, popularizado e institucionalizado por quem estava encarregado de fazê-lo. Os historiadores, sejam quais forem seus objetivos, estão envolvidos nesse processo, uma vez que eles contribuem, conscientemente ou não, para a criação, demolição e reestruturação de imagens do passado que pertencem não só ao mundo da investigação especializada, mas também à esfera pública na qual o homem atua como ser político.

HOBSBAWN, E., RANGER, T. A invenção das tradições. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1984 (adaptado). 

Uma vez que a neutralidade é inalcançável na atividade mencionada, é tarefa do profissional envolvido

A) criticar as ideias dominantes.
B) respeitar os interesses sociais.
C) defender os direitos das minorias.
D) explicitar as escolhas realizadas.
E) satisfazer os financiadores de pesquisas

RESOLUÇÃO: Não é possível ser neutro, logo cabe ao historiador construir e transmitir suas impressões e juízos tendo como base o que colheu na investigação empírica e os seus pressupostos conceituais e metodológicos. Assim é desejável que o historiador explicite suas escolhas, suas posições como mais elementos para a construção do pensamento crítico de seus leitores/alunos.

32) 

Aquarela do Brasil
Brasil!
Meu Brasil brasileiro
Meu mulato inzoneiro
Vou cantar-te nos meus versos
O Brasil, samba que’dá
Bamboleio que faz gingar
O Brasil do meu amor
Terra de Nosso Senhor

Brasil! Pra mim! Pra mim, pra mim!
Ah! Abre a cortina do passado
Tira a mãe preta do Cerrado
Bota o rei congo no congado
Brasil! Pra mim!
Deixa cantar de novo o trovador
A merencória luz da lua
Toda canção do meu amor
Quero ver essa dona caminhando
Pelos salões arrastando
O seu vestido rendado
Brasil! Pra mim, pra mim, pra mim!
ARY BARROSO. Aquarela do Brasil, 1939 (fragmento).

Muito usual no Estado Novo de Vargas, a composição de Ary Barroso é um exemplo típico de

A) música de sátira.
B) samba exaltação.
C) hino revolucionário.
D) propaganda eleitoral.
E) marchinha de protesto.

RESOLUÇÃO: O samba já era um ritmo musical muito popularizado no Brasil quando Getúlio Vargas suprimiu o Estado democrático e o substituiu pelo Estado Novo, uma ordem política autoritária com traços fascistas. A música em particular e todas as manifestações culturais, em geral, passaram a ser usadas pelo regime, via DIP, para reforçar a ideologia do regime vigente. O Samba-exaltação "Aquarela do Brasil" de Ary Barroso, exprime este sentido de culto brasilidade, conveniente ao regime da época.

34) A demanda da comunidade afro-brasileira por reconhecimento, valorização e afirmação de direitos, no que diz respeito à educação, passou a ser particularmente apoiada com a promulgação da Lei 10.639/2003, que alterou a Lei 9.394/1996, estabelecendo a obrigatoriedade do ensino de história e cultura afro-brasileiras e africanas.

Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Etnicorraciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-brasileira e Africana. Brasília: Ministério da Educação, 2005.

A alteração legal no Brasil contemporâneo descrita no texto é resultado do processo de

A) aumento da renda nacional.
B) mobilização do movimento negro. 
C) melhoria da infraestrutura escolar. 
D) ampliação das disciplinas obrigatórias. 
E) politização das universidades públicas.

RESOLUÇÃO: A inclusão do ensino das culturas afro-brasileiras nas escolas pelas autoridades brasileiras tem sido, principalmente, resultante da pressão do movimento negro brasileiro que se coloca na defesa de um nação mais multicultural, mais ecumênico e tolerante. O resgate dos traços culturais que deram origem ao povo brasileiro é uma demandas do Movimento Negro brasileiro.

37) O número de votantes potenciais em 1872 era de 1 097 698, o que correspondia a 10,8% da população total. Esse número poderia chegar a 13%, quando separamos os escravos dos demais indivíduos. Em 1886, cinco anos depois de a Lei Saraiva ter sido aprovada, o número de cidadãos que poderiam se qualificar eleitores era de 117 022, isto é, 0,8% da população.


CASTELLUCCI, A. A. S. Trabalhadores, máquina, política e eleições da Primeira República. Disponível em: www.ifch.unicamp.br. Acesso em: 28 jul 2012.


A explicação para a alteração envolvendo o número de eleitores no período é a

A) criação da Justiça Eleitoral.
B) exigência da alfabetização. 
C) redução da renda nacional. 
D) exclusão do voto feminino. 
E) coibição do voto de cabresto.


RESOLUÇÃO: Pela Lei Saraiva de 1881 que, entre outras coisas, vedou a participação de eleitores analfabetos no processo de escolha política. A diminuição, como aponta os dados, foi significativa de 10,8 % da população para 0,8% da população. O objetivo da exigência de saber ler e escrever para ser eleitor era impedir a ampliação da participação popular. Desde então reforçou-se o estigma de que o analfabeto não sabe votar por ser facilmente persuadido pela retórica dos candidatos e autoridades políticas.


39)
Com seu manto real em verde e amarelo, as cores da casa dos Habsburgo e Bragança, mas que lembravam também os tons da natureza do “Novo Mundo”, cravejado de estrelas representando o Cruzeiro do Sul e, finalmente, com o cabeção de penas de papo de tucano em volta do pescoço, D. Pedro II foi coroado imperador do Brasil. O monarca jamais foi tão tropical. Entre muitos ramos de café e tabaco, coroado como um César em meio a coqueiros e paineiras, D. Pedro transformava-se em sinônimo da nacionalidade.

SCHWARCZ. L M. As barbas do Imperador: O. Pedro II, um monarca nos trópicos.São Paulo: C,a. das Letras, 1998 (adaptado).

No Segundo Reinado, a Monarquia brasileira recorreu ao simbolismo de determinadas figuras e alegorias. A análise da imagem e do texto revela que o objetivo de tal estratégia era

A) exaltar o modelo absolutista e despótico. 
B) valorizar a mestiçagem africana e nativa. 
C) reduzir a participação democrática e popular. 
D) mobilizar o sentimento patriótico e antilusitano.
E) obscurecer a origem portuguesa e colonizadora. 

RESOLUÇÃO: As cores (verde e amarela) da "Casa real Habsburgo e Bragança" também aludiam à natureza brasileira, portando à brasilidade. O indígena, representando esta brasilidade "coroa", portanto sacraliza a aceitação dos súditos tupiniquins ao seu regente D Pedro II. A ideia era reforçar a imagem que seu antecessor, um imperador a serviço da Corte portuguesa, não tinha. D Pedro II encarnava a figura de um regente legítimo, próximo dos súditos e contemporizador.

40) Em virtude da importância dos grandes volumes de matérias-primas na indústria química — eram necessárias dez a doze toneladas de ingredientes para fabricar uma tonelada de soda —, a indústria teve uma localização bem definida quase que desde o início. Os três centros principais eram a área de Glasgow e as margens do Mersey e do Tyne. LANDES, D. S.

Prometeu desacorrentado: transformação tecnológica e desenvolvimento industrial na Europa ocidental, desde 1750 até a nossa época Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1994.

A relação entre a localização das indústrias químicas e das matérias-primas nos primórdios da Revolução Industrial provocou a
A) busca pela isenção de impostos.
B) intensa qualificação da mão de obra.
C) diminuição da distância dos mercados consumidores.
D) concentração da produção em determinadas regiões do país.
E) necessidade do desenvolvimento de sistemas de comunicação.

RESOLUÇÃO: Na primeira fase do processo de industrialização, em grande parte circunscrita à Inglaterra, os meios de transportes de bens e pessoas ainda eram muito limitados. Por estas razões as plantas fabris eram erigidas próximas às fontes de energia e bens primários. Por isso as regiões mais ao leste e ao sul da Grã-Bretanha foram as mais industrializadas neste período.

42)
Para além de objetivos específicos, muitos movimentos sociais interferem no contexto sociopolítico e ultrapassam dimensões imediatas, como foi o caso das mobilizações operárias, ocorridas em 1979 na cidade de São Paulo. Nesse sentido, ao mesmo tempo em que lutavam por seus direitos, essas mobilizações contribuíram com o(a)

A) elaboração de novas políticas que garantiram a estabilidade econômica do país.
B) instalação de empresas multinacionais no Brasil.
C) legalização dos sindicatos no Brasil.
D) surgimento das políticas governamentais assistencialistas.
E) processo de redemocratização do Brasil.

RESOLUÇÃO: Desde meados dos anos 70 a economia brasileira passou a ter uma desaceleração, decorrente do aumento dos custos em razão do 1º choque do petróleo. A inflação desenfreada, o desemprego e a piora dos indicadores sociais levaram ao aumento da mobilizações contra o regime ditatorial mantido pelos militares. As greves nos centros industriais desde 1979 passaram a estabelecer a conexão entre o combate contra o regime e a luta pelo emprego, por melhores condições de vida e por direitos. Neste contexto surgiram novos partidos, centrais sindicais e sindicatos comprometidos com esta luta pelos direitos das classes trabalhadoras, pela democracia e liberdade.

45) Nos Estados Unidos, durante o século XIX, tal como representada no mapa, a relação entre território e nação foi reconfigurada por uma política que


A) transferiu as populações indígenas para territórios de fronteira anexados, protegendo a cultura protestante dos migrantes fundadores da nação norte-americana..
B) respondeu às ameaças europeias pelo fim da escravidão, integrando a população de escravos ao projeto de expansão por meio da doação de terras.
C) assinou acordos com países latino-americanos, ajudando na reestruturação da economia desses países após suas independências.
D) projetou o avanço de populações excedentes para além da faixa atlântica, reformulando fronteiras para o estabelecimento de um país continental.
E) instalou manufaturas nas áreas compradas e anexadas, visando utilizar a mão de obra barata das populações em trânsito.

RESOLUÇÃO: O Mapa trata do processo de conquistas e aquisições de territórios ao longo do século XIX, empreendidas pelas autoridades dos EUA em consonância com as elites do nordeste desejosas pela expansão de seus negócios. Imbuídos pelo propósito de expansão, os americanos trataram de enfrentar todos os obstáculos que se punham à sua frente, sob a justificação da Doutrina do Destino Manifesto, segundo à qual o homem branco, culto, cristão, individualista e progressista havia recebido da providência divina a missão de levar civilidade, prosperidade e felicidades para as regiões mais inóspitas e bravias do meio e extremo Oeste. Nada, portanto, não podia impedi-los, assim os EUA tornaram-se também numa nação demográfica e territorialmente expressiva.
Postar um comentário