VESTIBULAR UFU ABRIL DE 2016: RESOLUÇÃO PROVA HISTÓRIA 1ª FASE

 PROF CIRES PEREIRA


11) Alternativa D: Desde o início da Baixa Idade Média verificou-se no ocidente europeu um processo de revivescimento da atividade mercantil. As cidades tornaram-se, novamente espaços, de atração para aquelas pessoas que buscavam sobreviver pelo trabalho ou então para enriquecer pelos seus investimentos. Nestas cidades nascia uma nova elite, a burguesia. O tempo passou a ser uma variável importante de lucro, sua medição tornou-se mais precisa à medida em que os negócios floresciam e a competitividade recrudescia.


12) Alternativa B: Nesta alternativa as características marcantes do absolutismo monárquico, regime político adotado pelos Estados nacionais na Europa Ocidental durante a Época Moderna. Um regime que atendia aos propósitos das distintas elites nacionais: emergente (Burguesia) e tradicionais (Nobres e Clérigos).

13) Alternativa C: No processo colonizatório empreendido pelos portugueses sobre o território brasileiro os objetivos da metrópole eram ampliar as receitas do Estado e os lucros da burguesia estacionada no espaço metropolitano, contudo contradições intrínsecas à este sistema puderam ser verificadas como o estabelecimento de uma elite colonial que tambem acumulou capitais.


14) Alternativa D: Tanto no empreendimento colonizatório português quanto no empreendimento colonizatório inglês havia também o concurso de interesses de natureza religiosa. As missões religiosas encontram-se presentes, sobretudo com os puritanos e católicos, na colonização inglesa e na colonização portuguesa, respectivamente.


15) Alternativa C: Assiste-se no Brasil pós emancipação do trabalho escravo uma priorização pela mão-de-obra imigrante em detrimento da mão-de-obra dos afro-brasileiros libertos. Vale salientar, como bem afirma o excerto, que o "negro" tornou-se duplamente discriminado, pois a eles eram destinadas as tarefas mais brutas além de salários inferiores

16) Alternativa B: A mitificação é uma estratégia recorrente das elites para reforçarem suas posições políticas e uma memória do evento segundo suas conveniências. O resgate da figura de Tiradentes pelos republicanos reforçava uma ideia de embate entre um passado (Império) opressor) e um futuro (República) identificado com o ideário de liberdade.

17) Alternativa C: Antônio Conselheiro era uma liderança que cativava seus seguidores valendo-se de concepções religiosas conservadoras e tradicionais. A mobilização camponesa em torno de Conselheiro tinha como propósito o fim da concentração fundiária e a partilha do solo pelos setores alijados da sociedade.

18) Alternativa A: Tem havido um debate na academia acerca do populismo que tradicionalmente é considerado um esquema político no qual a liderança instituída exerce um protagonismo maior do que os setores constitutivos da sociedade civil, especialmente os setores populares. O aparelhamento e o corporativismo, geralmente, são arrolados para reforçar esta tese. Contudo há uma nova abordagem sobre o tema que reconhece uma relativa autonomia dos setores organizados da sociedade que exerce sobre o governo uma pressão suficiente para o governo atende-los parcial ou totalmente, materializado numa legislação trabalhista mais protetora do trabalho.


19) Letra B: Como a Revolução Americana (1764-1787) ocorreu antes do início da revolução Francesa (1789-1799) é possível estabelecer uma relação entre a bem sucedida mobilização em torno dos princípios liberais ou iluministas na América do Norte com a deflagração de uma mobilização que tambem objetivava uma ordem mais alinhada com os princípios de liberdade e de igualdade jurídica na França em 1789.


20) O fim do socialismo real foi visto pelo ocidente capitalista como o triunfo sobre uma utopia que havia se materializado com o avanço da luta de classes, um conceito criado pelo alemão Karl Marx para compreender a história como um processo de constante embate entre as classes antagônicas no seio de uma sociedade. Com o colapso dos regimes socialistas no início dos anos 1990, os defensores da ordem capitalista e, particularmente, propugnadores do neoliberalismo afirmavam que a história havia encontrado seu fim, com o fim da luta entre as classe. Fukuyama é um teórico que se destacou dentre estes defensores.
0