29 de novembro de 2015

FUVEST 2016 - RESOLUÇÃO PROVA HISTÓRIA (1ª FASE)

            PROFESSOR CIRES PEREIRA

A prova de história deste vestibular FUVEST-2016 contemplou as frentes da História, comumente ministradas ao longo do Ensino Médio. Uma prova de nível fácil para nível mediano como era de se esperar, logo pouco interferirá na seleção para a segunda fase, pois a média  de acertos dificilmente será inferior a 80 % para os cursos mais concorridos.

RESOLUÇÃO: O texto explicita uma mudança importante no mundo clássico, a afirmação da pólis e, com ela, o debate entre os "cidadãos" sobre temas relacionados e caros à cidade-estado, este imprescindível para a tomada das decisões.
RESOLUÇÃO: O Império Romano dilatou suas fronteiras pela via das conquistas militares e políticas. Esta estrutura vasta e complexa demandava crescentes recursos financeiros que pudessem cobrir gastos com a defesa do patrimônio amealhado e que pudessem fazer frente à infinidade de obras públicas (estradas, portos, etc) que interligassem Roma aos seus domínios. Estes gastos e investimentos implicavam numa política tributária muito pesada para os povos conquistados, contribuindo para um crônico clima de animosidade entre os colonos e as autoridades romanas.
RESOLUÇÃO: Com os aumentos da produção e do consumo e diante da retomada do comércio de longa distância envolvendo os europeus, a Europa Ocidental foi palco do Renascimento Comercial desde entre os séculos XI e XIV. As cidades tornaram-se os espaços mais adequados para a produção, serviços e a circulação de bens e circulação de pessoas. Nelas o tempo passou a ser uma variável importante em meio a uma sociedade cada vez mais impregnada de uma postura competitiva e progressista.
RESOLUÇÃO: Angola, Moçambique e Cabo Verde são alguns dos países do continente africano de colonização portuguesa desde o início do Período Moderno. O português é o idioma nacional, ainda que os respectivos povos destes países tenham conservado seus mais diversos dialetos. 
RESOLUÇÃO: O pintor Jacques Louis-David constituiu-se numa importante figura dos governos revolucionários franceses, especialmente no período comandado pelo Napoleão Bonaparte. Suas obras, geralmente, enalteciam as mudanças ensejadas pela revolução na França. Neste contexto revolucionário o nacionalismo tornou-se um componente relevante para coesionar os franceses para o enfrentamento de obstáculos internos e externo. Um destes obstáculos era a Inglaterra que colhia os primeiros frutos de uma bem-sucedida industrialização, assim tornou-se comum referir-se à Inglaterra com escárnio. Na obra acima nota-se uma ridicularização em relação à monarquia britânica, ainda que, desde 1689, limitada pelo parlamento e constituição ingleses.
RESOLUÇÃO: O texto, atribuído ao EZLN - Exército Zapatista de Libertação Nacional - faz um apanhado das diversas lutas empreendidas pelo povo mexicano ao longo da sua "história de 500 anos". Nestes enfrentamentos, o México perdeu para os EUA quase a metade do seu território. O Texas havia deixado o México pra integrar-se aos EUA (1836/1845), esta secessão provocou um conflito entre México e EUA. Em 1848, os EUA, vitoriosos, incorporaram outros territórios mexicanos que se estendiam da fronteira do Texas ao Oceano Pacífico. 
RESOLUÇÃO: Um dos principais embate nestes tempos "pós-Guerra fria", tem sido entre os partidários de uma Ordem Mundial hegemonizada pelos EUA e os partidários de uma Ordem Mundial multifacetada e multicultural. Os BRICS, em escala global, e a ALBA, em escala regional, são algumas evidências de um crescente questionamento ao projeto hegemonista dos EUA.
RESOLUÇÃO: A carta refere-se ao fato de os franceses e nativos estarem envolvidos num comercio clandestino de madeiras, especialmente o pau-brasil. Este contrabando, danoso ao Império Português, segundo o seu autor, provocou a reação da Coroa contra os franceses.

RESOLUÇÃO: Mesmo sob pressão britânica contra o tráfico de mão-de-obra para o Brasil, este lucrativo negócio continuou crescendo após a independência do Brasil frente a Portugal. O gráfico aponta um aumento importante do atracamento de embarcações no Brasil provenientes da África transportando nativos africanos para serem escravizados no país. 

RESOLUÇÃO: Entre as elites nacionais ainda era preponderante o seu alinhamento com o pensamento da elite europeia que, na passagem do século XIX para o século XX, era amparado pelo "Darwinismo Social" e pelo Positivismo de Auguste Comte.  Desta forma a elite brasileira era partidária da ideia de que a prosperidade só viria se houvesse uma ordem política que pudesse atender às demandas da própria elite, dai a defesa de uma "modernização conservadora". Ao mesmo tempo esta mesma elite fazia coro com a elite europeia na viabilização de uma sociedade que pudesse ser dirigida pelos homens de "raça superior" (origem europeia e brancos).


RESOLUÇÃO:  No final dos anos 70, o regime militar procurou viabilizar um projeto de integração nacional como meio para reforçar o sentimento nacional que contribuiria para melhorar a imagem do regime frente aos brasileiros, um pouco desgastada devido aos recuos dos indicadores econômicos e sociais. A "Transamazônica" tornou-se uma importante peça de  propaganda para o regime, alimentando a falsa ideia de que o governo preocupava-se com todos os brasileiros, ricos e pobres, sulistas e nortistas e assim por diante.


Postar um comentário