AS FALAS (AGORA NÃO MAIS CIFRADAS) DE UM GOLPE

Cires Pereira

Eduardo Cunha: "Temer (Vice de Dilma) é sabotado" pelo PT.

Roberto Freire (PPS): "intervenção das forças democráticas" do país para fazer frente à gestão de Dilma. "A crise econômica vai se aprofundar, piores consequências teremos".

Fernando Henrique Cardoso: “Fui presidente da República, enfrentei situações muito difíceis. Eu perdi a popularidade algumas vezes. Popularidade se perde e se ganha. O que eu nunca perdi foi a minha credibilidade. Quando se perde, não há mais como recompô-la”

José Serra: "Eu não estou abordando o parlamentarismo como divagação. Quero fazer uma proposta para abrirmos um debate sobre a implementação do parlamentarismo no país".

Aécio Neves: "Esse grupo político que aí está está caminhando a passos largos para a interrupção deste mandato. A verdade é que a presidente não governa mais. Ela perdeu o controle da máquina administrativa do Brasil.

Ronaldo Caiado (DEM): "Precisamos abraçar um projeto para tirar o país da crise e promover uma correção de rumos. Para isso, defendo a realização de uma nova eleição para a Presidência da República".


Conclusão: A oposição conservadora (PPS-PSDB-DEM e setores do PMDB) assume abertamente a interrupção do mandato de Dilma conquistado limpamente nas eleições em 2014. 

Valem-se dos seguintes argumentos: 1- irregularidades apontadas pelo TCU, 2 - hipotética implicação de Dilma na Operação Lava Jato e 3 - agravamento da crise econômica e perda de popularidade segundo pesquisas recentes.

1 - Irregularidades apontadas pelo TCU: Nardes, o relator do processo no TCU, disse que "serão necessárias explicações sobre o contingenciamento que deveria ter sido feito em 2014, e emendou "a rejeição das contas vai depender das justificativas apresentadas". Dilma tem um prazo para se explicar, até lá afirmar que incorreu em crime de responsabilidade é açodamento. 
2 - Hipotética implicação de Dilma na Operação Lava Jato: Sequer houve uma delação de que Dilma tenha participado das irregularidades, sequer houve indiciamento dela por parte da Procuradoria Geral da República, portanto não há nenhum fato determinado que justifique a apreciação desta matéria no Congresso Nacional. 
3 - Agravamento da crise econômica e perda de popularidade segundo pesquisas recentes: Ora a Constituição Federal em nenhum momento fala em interrupção de mandato de um governo que encontra dificuldades pra enfrentar uma crise econômica.
0