24 de maio de 2015

SOBRE A VACINAÇÃO CONTRA O VÍRUS INFLUENZA

Por Ludmila Araújo Santana: Estudante do curso de Medicina - Universidade federal de Uberlândia


A 17ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza que começou dia 27 de abril e encerrou nessa última sexta-feira, dia 22 de maio será prorrogada em alguns estados brasileiros. A vacinação atingiu em torno de 50% da meta, por isso as autoridades optaram por prorroga-la em alguns estados pelo Brasil.

E você se pergunta: o que é essa tal vacina pra Influenza?

A vacina pra Influenza nada mais é que uma suspensão com presença de vírus morto e fragmentado. Nessa campanha, há presença de 3 diferentes subtipos de cepas virais - H1N1, H3N2 e B. Assim, as pessoas que se vacinarem, passam a produzir anticorpos que geram proteção contra a gripe. É importante salientar que os anticorpos levam em média 3 semanas para ficarem prontos, por isso é importante que a vacinação ocorra antes do início do inverno. Já que o período de maior circulação do vírus ocorre de maio até agosto.

Ao vacinar contra a gripe, então estarei protegido?

Você estará protegido contra a gripe causada pelos subtipos virais presentes na vacina, como citado anteriormente. Existem inúmeras cepas virais, então pode acontecer de você entrar em contato com um subtipo viral que você não foi vacinado, e não está imunizado e protegido. Existe um outro fator importante: a população alega que após a vacinação é comum o surgimento de sintomas semelhantes ao da gripe e se perguntam – “se vacinei contra a gripe, porque estou gripado?” Na verdade, você pode estar resfriado. O resfriado não é uma gripe, mas os sintomas são parecidos e podem acabar gerando a confusão. É importante frisar que as vacinas são feitas com vírus mortos, incapazes de gerar a doença no indivíduo.

Abaixo as distinções entre Gripe e resfriado elaborado pelo portal www.globo.com/G1.




Será que eu posso participar da Campanha?

Nesta campanha, o público-alvo são os idosos com 60 anos ou mais de idade, os trabalhadores da área de saúde, os povos indígenas, as crianças entre seis meses e cinco anos de idade, as gestantes, mulheres com até 45 dias após o parto, portadores de doenças crônicas não transmissíveis, presos e funcionários do sistema prisional. Os que não fazem parte deste público-alvo poderão vacinar na rede hospitalar privada, o valor médio da vacina tetravalente cobrado fica em torno de R$ 70,00.


Quem não pode tomar a vacina contra Influenza?


Pessoas que já apresentaram reação anafilática em vacinações anteriores, ou quem tem reação alérgica à proteína do ovo. Já que uma das etapas para a produção da vacina ocorre em meio de cultura com a presença de embriões de galinha.

Alguns estudos demonstram que a vacinação pode reduzir de 39% a 75% a mortalidade global. Entre os residentes em lares de idosos, pode reduzir o risco de pneumonia em aproximadamente 60%, e o risco global de hospitalização e morte, em cerca de 50% a 68%, respectivamente. Referem ainda redução de mais de 50% nas doenças relacionadas à Influenza.

A cada ano, novas cepas virais são selecionadas para prevenir doenças causadas por cepas que circularão na temporada seguinte. Assim, as estratégias de vacinação, a inclusão de novas vacinas no Programa Nacional de Imunizações e o estabelecimento de grupos específicos e vulneráveis a serem vacinados são importantes para eficácia na prevenção de doenças reduzindo o risco de mortalidade e comorbidade gerada por elas.
Postar um comentário