19 de abril de 2015

RESOLUÇÃO PROVA DE HISTÓRIA 1ª FASE UFU 2015

PROFESSOR CIRES PEREIRA


Abaixo a resolução da prova de História da 1ª fase do Vestibular UFU realizada no dia 19 de abril de 2015. Uma prova equilibrada de nível fácil, portanto pouco seletiva. O que prejudica os vestibulandos que se preparam com maior esmero, de qualquer modo devemos concluir esta análise diante das prova na segunda fase, aguardemos!!!


11 

Letra D: A transição feudo-capitalista no ocidente europeu foi marcada pelo avanço da economia de mercado e pela afirmação da burguesia. Os reflexos destas mudanças puderam ser sentidos na ordem política em processo de absolutização da autoridade temporal dos monarcas e na secularização do debate sob a égide do renascimento cultural. Este cenário perturba e esmorece as estruturas de dominação tradicionais como a autoridade presencial do Papa e a autoridade doutrinal da Igreja Católica sob o seu comando. 

12

Letra B: O Congresso de Viena estruturou-se num momento marcado pelo avanço do liberalismo político na Europa Ocidental, nele as forças mais retrógradas da política europeia se reorganizaram sob os princípios da Legitimidade e do Equilíbrio. Assim suas resoluções tinham por objetivos restabelecer a ordem política anterior às revoluções na Europa. Nele foi criada a Santa Aliança para sufocar quaisquer mobilizações inspiradas no ideário iluminista.

13 

Letra C: O novo cenário internacional erigido após a Segunda Grande Guerra tinha como caracterização principal a disputa bipolarizada pela hegemonia internacional entre os EUA e a URSS. Para o capitalismo mundial a ideia era conter a qualquer custo o avanço das esquerdas e uma das estratégias mais adotadas nas economias industrializadas, como era o caso da Europa Ocidental, eram as redes de proteção social que materializava o projeto do Estado de Bem-estar social. Estas ações estimulavam o consumo interno, como bem sugeriu John Maynard Keynes, logo tornava mais vigorosa a recuperação econômica. O capitalismo encontrava assim, mesmo diante de suas crises cíclicas, meios de se reinventar e de se revigorar.

14  


Letra D: A expansão marítima principializada pelos países da Península Ibérica significou também a expansão do comercio em escala global, tornando o Oceano Atlântico a principal “artéria mercantil” do mundo. A Europa aos poucos se recobrava de sua crise e se posicionava como o centro econômico do planeta.

15 

Letra C: Representante maior do Despotismo Esclarecido português nas últimas décadas do século XVIII. Durante o seu governo, Pombal precisava ampliar a arrecadação dos tributos da mineração, foi criada a derrama, bem como reavivados os monopólios através da criação das Companhias de Comércio do Grão-Pará-Maranhão (1755) e do Pernambuco-Paraíba (1759), responsáveis pelo estímulo às lavouras do algodão e da cana-de-açúcar. Com isso, ocorreu a intensificação da exploração colonial, estabelecendo-se, inclusive, mecanismos para evitar a prática do contrabando.


16 

Letra B: Em fevereiro de 1848 a República francesa foi proclamada pela segunda vez após a queda Luis Felipe, naquele momento estabeleceu-se um governo provisório constituído pelos liberais e socialistas utópicos. Rapidamente as proposições dos socialistas começaram a ser rechaçadas pelos liberais que, majoritários, removeram os socialistas dos cargos assumidos o que provocou fortes confrontos entre as tropas do governo (liberal) e os socialistas. 

17 

Letra C: A geopolítica na América do Sul pós-emancipações era marcada pela fragmentação política o que convinha à Inglaterra, portanto quanto maior fosse a incidência de conflitos internos menores as chances de uma agenda de entendimentos visando boa vizinhança ou integração na região. A guerra torna esta agenda praticamente improvável.

18

Letra B: A proclamação da República em 1889 pelos militares coroava um arranjo elitista que tinha por objetivo não permitir o protagonismo popular e/ou a afirmação de um projeto político democrático e reformista. O Positivismo era o que melhor se adequava àquele arranjo, a edificação de ordem segura comandada pelo alto oficialato militar que estimularia a prosperidade econômica sem que excluíssem os setores tradicionais da economia brasileira, particularmente a elite cafeicultora.

19 

Letra B: Vargas implanta uma ordem monolítica que fosse capaz de consolidar os “avanços sociais”, para tanto era necessário conter um possível retrocesso diante da rearticulação dos setores prejudicados com a sua eleição em 1930 e deter o avanço do movimento comunista.

20 

Letra D: As guerras dos Bôeres (1880/81 e 1899/1902) foram disputas envolvendo os colonos de origem holandesa e forças militares inglesas que pretendiam se apropriar das regiões do Transvaal e Orange no extremo sul do continente africano. A União Sul-Africana foi criada e desde então estabeleceu-se um processo de colonização no qual as populações locais eram subjugadas e segregadas. O movimento contra o segregacionismo passou a ser a base do projeto político do CNA - Congresso Nacional Africano do Lider Mandela.
Postar um comentário