OS 461 DE CUBA CONTRA O EBOLA

                                                                        CIRES PEREIRA


O vírus ebola continua ceifando vidas na África e notícias dão conta de que já chegou nos EUA e Europa. Milhões de dólares terão que ser dispendidos para enfrentar este flagelo, todos países precisam urgentemente colaborar, até mesmos os países sem muitos recursos como é o caso de Cuba. Mas este apelo não preciso fazer ao governo cubano e ao povo cubano, eles já estão engajados com o que podem e o que tem feito pelos africanos emociona. Até mesmo o governo dos EUA teve que reconhecer o esforço e a solidariedade cubanos.

O Secretário de Estado americano, John Kerry, expressou nesta sexta-feira a sua gratidão em relação à Cuba por conta de sua ajuda na luta contra o vírus Ebola no continente africano. 

Kerry aproveitou para lançar um novo apelo para a mobilização mundial contra a epidemia.
"Vemos pequenas e grandes nações acelerar dramaticamente a sua contribuição na linha de frente" (...) "Cuba, um país de apenas 11 milhões, enviou 165 profissionais de saúde e tem planos de enviar outros 300".

EUA e CUBA não mantêm relações diplomáticas oficiais desde 1961, os Estados Unidos ainda mantêm um embargo comercial contra a Ilha há mais de 50 anos. 

Desde setembro 165 cubanos encontram-se em Serra Leoa (foto e vídeo abaixo) enfrentando o Ebola. Estes 165 foram selecionados pelo governo dentre os que se ofereceram para participar da missão. Os médicos e enfermeiros estão dispostos a trabalharem em estreita colaboração com profissionais de todo o país, incluindo profissionais dos Estados Unidos. No dia 26 de setembro o governo cubano anunciou que enviará outros 296 médicos e enfermeiros para as regiões afetadas pela epidemia do vírus ebola na África Ocidental. Assim 461 cubanos estarão na linha de frente contra o Ebola.


Desde o dia 15 de setembro estes 296 profissionais vêm sendo preparados por meio de um “curso intensivo” de teoria e prática sobre como lidar com a doença. Estima-se que algo em torno de 15 mil cubanos se ofereceram para irem à África para ajudar.

Acessem este link e vejam o vídeo produzido pela TELESUR sobre a "brigada internacionalista contra o Ebola em Serra Leoa: http://www.youtube.com/watch?v=JKM2Rf4oxeg

TRÊS CONCLUSÕES 

  1. EUA começam a entender que estão cada vez mais isolado em sua ultrapassada represália contra Cuba e os cubanos. 
  1. Proporcionalmente Cuba demonstra mais solidariedade do que qualquer outra nação no mundo diante do flagelo que acomete povos na África Ocidental.Pela segunda vez, pois foi assim que Cuba procedeu no socorro às vitimas do terremoto no Haiti em 2010 que ceifou 240 mil.  
  1. O Ebola é uma epidemia que devido ao seu alto grau de letalidade, se não enfrentada de forma global envolvendo o mundo inteiro, pode fazer um número assustador de mortes no mundo inteiro.
Se os povos no mundo deixassem de lado suas razões geradoras dos conflitos, poderiam acolher outras razões mais nobres. A assistência ao outro, como demonstram os cubanos, certamente é uma destas razões que erigiriam um mundo melhor, de paz, com saúde, sustentável, próspero e justo. 

Mais uma vez, obrigado cubanos!
0