30 de setembro de 2014

VOTO CONSCIENTE, A MELHOR ESCOLHA!

Professor Cires Pereira

Amigos e amigas que pretendem, neste dia 05 de outubro,  exercer uma das ações reforçadoras do Estado de Direito Democrático, o voto ou sufrágio. Trata-se de um momento importante na definição do futuro próximo para nosso país e nosso "Estado" ou membro federativo.

Escolherão um representante do Estado de Minas (eleitores de Minas) e dos demais Estados para o Senado Federal (Cada Estado tem 3 senadores prefazendo um total de 81 senadores), legisladores ou deputados estaduais para a Assembleia de Minas Gerais (eleitores de Minas) e das Assembleias dos demais Estados além legisladores ou deputados federais para a Câmara dos Deputados. Escolherão também o próximo chefe do poder executivo (no Brasil o Chefe de Governo é também o Chefe de Estado).

Reitero a todos vocês que façam as melhores escolhas. Um bom candidato(a), ao contrário do que muitos candidatos dizem, "um bom deputado é aquele que traz recursos para o município ou região", é aquele que se disponha a fiscalizar as ações do executivo respectivo e que legisla para a parte maior da sociedade civil, isto é aquele formula e aprova leis que possibilitam melhorar a vida de um percentual maior da sociedade. É preciso termos consciência de que o parlamento estadual legisla pra todo o Estado, logo uma lei aprovada tem jurisdição em todo o Estado de Minas Gerais. Isto também se aplica aos deputados federais e senadores, portanto preocupa-me também, e muito, a qualidade dos que defendem os legisladores escolhidos aqui, no Ceará, em São Paulo e no Acre.

O meu critério para a escolha de um deputado sempre foi e continuará sendo o lado em que ele se encontra e se manifesta. Alguns tem lado, mas preferem esconder o seu lado ou Partido, estes são os primeiros que descarto. Como sequer dizem o que verdadeiramente pregam (bandeiras de seu partido) como poderia confiar nele? Os candidatos que mudam de partido a princípio não merecem meu voto, neste caso preciso investigar o que o levou a mudar de partido. Este candidato tendo uma razão nobre, como compatibilidade ideológica com sua nova sigla, pode merecer o meu voto. Importa e muito qual a posição de meu candidato frente às eleições majoritárias (Governador e Presidente, isto é qual é o seu partido? quem o seu partido apóia?, etc.Jamais apoiaria um deputado que não apóia o meu candidato a governador e a presidente, pois o meu candidato, se eleito deverá apoiar o presidente que elegi ou deve opor-se ao presidente eleito sem o meu voto.

Não voto em candidato porque ele é meu amigo ou é da região em que resido, que seja apenas honesto, ou que defenda uma bandeira específica. Voto num candidato que representa um projeto estratégico de nação e que se disponha a lutar para que este projeto se materialize. Pode, eventualmente, coincidir que este candidato seja alguém que eu conheça ou até que seja meu amigo, mas isso é irrelevante na definição de meu voto.

Boas escolhas cidadãos e cidadãs!
Postar um comentário