OS CAMINHOS DE MINAS INDICADOS POR NASCIMENTO E BRANT

CIRES PEREIRA


Ao grande mineiro e amigo João Bruno.


Uma grande prova para identificarmos um "mineiro" nato é acompanha-lo ouvindo "Ponta de Areia" de Fernando Brant e Milton Nascimento, uma música que consta no álbum intitulado "Minas" lançado em 1975. Ficamos divididos entre prestar atenção à música ou prestar atenção no semblante do "mineiro". Honestamente não sei o que é mais arrepiante. Todos os mineiros e mineiras da gema se emocionam com esta música, mais do que o hino de Minas Gerais ela parece-me ser o hino da mineirice ou o hino do mineirismo. 

A música é um lamento ou um "ai" frente à desativação da ferrovia Bahia-Minas em 1966. A estrada de ferro Bahia-Minas virou lenda entre moradores dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri. São tantas histórias contadas... Esta estrada nasceu, em 1878, como uma verdadeira redenção da região, concretizando os sonhos de políticos como Teófilo Otoni. Depois de quase um século virou signo do atraso, quando a moda era valorizar rodovias e automóveis, sob inspiração de Juscelino Kubischeck e da indústria do petróleo. Os trilhos foram arrancados, em 1966 por ordem dos militares que haviam subtraído a liberdade da sociedade brasileira.

"Ponta de Areia" poderia muito bem ser a síntese do que parece-me ser o que há de melhor em Minas. Numa de minhas viagens ao nordeste, resolvi ir ao litoral sul do Estado da Bahia de automóvel. O fiz pela BR 365 que também conecta o Triângulo Mineiro ao Norte de Minas, passando por Patrocínio, Patos de Minas, Montes Claros, etc. A partir de Montes Claros, havia opções interessantes, optei por "serpentear" na região pelas cidades de Salinas, Araçuaí e Almenara até alcançar a Bahia. 

Estava então no famoso Vale do Jequitinhonha que tem proporcionado à cultura brasileira tantos artistas e muita inspiração. Com o objetivo da viagem era o litoral baiano, pouco tempo permaneci na região, mas o suficiente para, como "mineiro" que sou, me emocionar.

Voltarei àquela região preparado para aquele que será um dos grandes encontros na minha vida. Tratarei de selecionar toda a discografia de Milton Nascimento para ouvir enquanto estiver passando por aquelas bandas. Assim que alcançar Araçuaí, haverei de colocar pra ouvir "Ponta de Areia". Chorarei como um menino e lembrarei de Itamarandiba. No caminho que me leva a Itamarandiba, ouvindo "Itamarandiba" também de Milton e Fernando, peça integrante do disco "Sentinela" lançado em 1980, depararei com as mulheres nas janelas das casas miúdas de Turmalina e de Diamantina, pois ali também "as mulheres são morenas" e "(...) os homens felizes como se fossem meninos".

Emocionado rumarei para Teófilo Ottoni, o velho "Tió", e lembrarei de um velho amigo que, muito jovem tomou o ônibus rumo à capital. Após alguns anos, este meu velho amigo de nome João tomou a BR 262 e cá chegou no Triângulo trazendo em sua mala um pouquinho das bandas do norte de Minas e nos fazendo, como ele, Milton e Fernando, mais "mineiros" do que antes.


Abaixo clips das músicas mencionadas neste texto:

Ponta de Areia interpretada por uma das maiores e vozes da nossa MPB, Nana Caymmi que é baiana e filha de Jorge.


Acesse


Ponta de Areia interpretada por Milton no festival em Londres em 1988, Milton é acompanhado pelo maior percussionista de todos os tempos, o pernambucano Naná Vasconcelos.

Acesse:
https://www.youtube.com/watch?v=GgjVtsznPs4


Itamarandiba Interpretada por Fernando Brant, o que é muito raro, logo muito especial, Tavinho Moura (centro) e Mariana Brant.

Acesse
https://www.youtube.com/watch?v=RHdCyN5W-D0


Itamarandiba a interpretação original de Milton Nascimento para o LP "Minas" de 1975

Acesse
https://www.youtube.com/watch?v=Lo9R1fbRcRQ

0