POEMA: COVARDE?

Cires Pereira

Ando em frente previdente e prudente, 
Pelos lados me veriam louco. 
Em círculos, mais um hesitante. 
Frente, frente, somente frente. 
 Resignado, temo perder o rumo. 
Pragmático, sigo. 
Frente, frente, somente frente. 

A cautela de romper sucumbe 
o desejo de irromper. 
A fragilidade (suposta) queima, sufoca e esgana. 
Frente, frente, somente frente. 

E o tempo, inclemente, se esvai. 
A impertinência se recolhe e me apequeno 
Mesmo desejando grande. 
Frente, frente, somente frente. 

Ah quem sabe um dia, os lados. 
Deixarei-os boquiabertos. 

Ainda resta-me um lado grande? 
Ora, os lados. 

Um dia, dilato-me para os lados. 
Frente, frente e para os lados.
0