O GENIAL MARKU RIBAS

                                             Cires Pereira - Agosto de 2013



A música perdeu um compositor/intérprete incomum, o mineiro de Pirapora Marcos Antonio Ribas ou mais conhecido como Marku Ribas. Nasceu em maio de 1947 e faleceu, agora em abril de 1013. Seu estilo era caleidoscópico, pois mesclava funk, jazz, rimos africanos, soul, samba e o samba rock, ele gostava da ideia de que seu trabalho era o samba rock.


Lançou 12 Álbuns, com destaque para "Underground (1973), Marku (1976) e Barrankeiro (1977) e "Autóctone) em 1991, este o meu predileto e um dos menos conhecidos de Marku Ribas, tive a felicidade de assistir ao show em Uberlândia deste seu trabalho. Uma dos mais impressionantes espetáculos que pude assistir até hoje.

Marku se colocou em rota de choque com a ditadura militar, foi preso 1968 em razão do teor de algumas de suas letras. Exilou-se na França, onde atuou em filmes de Robert Bresson e Jean-Marc Thibault. Montou um grupo em Paris que o levou em excursão ao Caribe. Morou em Martinica e em Stª Lucia, ilha inglesa, onde encontrou-se com Bob Marley. De volta ao Brasil, gravou em 1972 o álbum Underground.

Participou de vários filmes, com destaque para o papel do revolucionário Carlos Marighela em Batismo de Sangue (2007), e o crooner da banda do baile em Chega de Saudade (2008).



Autóctone é um álbum vibrante e muito competente, reuniu grandes nomes da música de Minas Gerais como Toninho Horta, Célio Balona, Dércio Marques, Juarez Moreira, Titane. Destaque neste repertório, as músicas “Favela Blues”, “Tamarrêra”,  e “Mussulo”, “Banana Boat Song” e “Mais Que Nada”. 

Segue uma apresentação no Som Brasil de 1989, a qualidade não é muito boa do vídeo. Mas a música Tamarrêra nos impõe quaisquer sacrifícios.



Postar um comentário

POSTAGENS MAIS LIDAS

UNESP 2017 RESOLUÇÃO PROVA HISTÓRIA 1ª FASE

"ESQUADROS" DE ADRIANA CALCANHOTO, UMA ANÁLISE

VESTIBULAR UNICAMP 2018 RESOLUÇÃO PROVA HISTÓRIA

ENEM 2016-2 DEZEMBRO RESOLUÇÃO CIÊNCIAS HUMANAS - HISTÓRIA

ENEM 2016-2 DEZEMBRO RESOLUÇÃO CIÊNCIAS HUMANAS - FILOSOFIA