19 de abril de 2014

GABRIEL GARCIA MÁRQUEZ

Cires Pereira 

Gabriel Garcia Márquez
Gabriel García Márquez nasceu na cidade de Aracataca na Colômbia no ano de 1928, laureado com o Prêmio Nobel de Literatura em 1982 em razão do conjunto de uma obra grandiosa em tamanho e em qualidade, destacando “Cem anos de Solidão” livro publicado em 1967 e outra referência de leitura, publicada nos anos 80, o “Amor nos tempos do Cólera”.

Escritor, Jornalista e Diretor de Cinema (em letras maiúsculas por razões óbvias), Gabriel militou no jornalismo por muitos anos, especialmente ao longo dos tensos anos 60 e 70. No início da década de 1960, estabeleceu-se nos EUA como correspondente, contudo as perseguições empreendidas pela CIA (Serviço Secreto Americano) por conta de sua assumida posição favorável à revolução conduzida por Fidel Castro e Che Guevara o fizeram transferir-se para o México.

"Cem Anos de Solidão" é obra mais significativas obras do "Realismo Fantástico". Este estilo apresenta como traços marcantes fatos mágicos surreais vistos pelos personagens como algo normal e convencional que faz parte do mundo; as previsões e as intuições dos personagens como se isso fizesse parte dos sentidos humanos normais; eventos que "salpicam" a narrativa sem que haja uma explicação plausível ou convincente; a distorção do tempo e a mescla entre o real e o fantasioso. Um bom exemplo na teledramaturgia brasileira foi a novela "Saramandaia" de Dias Gomes no ano de 1976 e que mereceu um "remake" assinado por Ricardo Linhares da Rede Globo neste ano.

A história se passa numa aldeia imaginária denominada Macondo num canto qualquer da América latina, uma aldeia fundada pelo clã Buendia-Iguarán. José Arcadio Buendia e Úrsula Iguarán tiveram três filhos: José Arcadio, um filho viril e trabalhador; Aureliano, um filho mais introvertido e pensante e Amaranta, uma filha mais caseira e Rebeca, uma órfão que foi adotada pelo casal. A história desenrola-se à volta desta geração e dos seus filhos, netos, bisnetos e tataranetos. Úrsula, a matriarca viveu e acompanhou toda as quatro gerações retratadas na obra. É sob o olhar de Úrsula que as histórias dos herdeiros se desenrolam. Com este olhar deparamos que as características físicas e psicológicas dos seus herdeiros estão vinculadas aos nomes da segunda geração: José Arcadio e seus herdeiros são impulsivos, extrovertidos e trabalhadores enquanto que Aureliano e seus herdeiros são pacatos, estudiosos e muito introvertidos, cabendo então aos "Aurelianos" a incumbência de desvendar os misteriosos pergaminhos de Melquíades, amigo do patriarca José Arcadio Buendía. A história então gira em torno desta família e dos pergaminhos de difícil decifração. Gabriel Garcia Márquez, também chamado pelos seus amigos de GABO, consegue de maneira inigualável tornar Macondo e os seus habitantes inesquecíveis. Esta obra por si só mereceria todos os prêmios.

Em meados dos oitenta, GABO nos brinda com o igualmente "clássico", o "Amor nos tempos do cólera", gostei mais deste do que "Cem anos de solidão. Como o próprio escritor confidenciou, a narrativa tem como referência a situação vivida pelos seus país Gabriel Elígio Garcia e Luiza Marquez. A história gira em torno da paixão entre Florentino Ariza, um telegrafista, poeta e violinista por Fermina Daza no final dos "oitocentos". O Coronel Nicolas e pai de Fermina não consentia este romance, motivo pelo qual Fermina foi forçada a uma viagem pelo interior, mesmo assim Gabriel empreendeu um jeito de comunicar-se com Fermina por telegramas. 

O amor de Florentino Ariza e firmino é interrompido pelos preconceitos e hipocrisias da sociedade da época. Florentino Ariza jurou amor eterno a Fermina mesmo quando esta se casa com Juvenal Urbino. Com o falecimento de Juvenal, depois de 53 anos, 7 meses e 11 dias, Florentino Ariza enfim tem Fermina em seus braços. Neste longo período Florentino Ariza fez fortuna, relacionou-se com muitas mulheres sem jamais ter se comprometido com elas para que, livre, pudesse um dia ter Fermina. O romance nos remete a três temas muito caros: o amor, a velhice e a morte.

 

Em 2007 o escritor permitiu que o livro ganhasse uma versão para o cinema, na telona o filme foi protagonizado por Javier Bardem, seguramente o melhor ator espanhol em atividade, no papel de Ariza e Giovanna Mezzogiorno no papel de Fermina. Ao meu ver a direção de Mike Newell e as interpretações de Javier Bardem e Giovanna Mezzogiorno estiveram à altura do romance, destaco tambem a participação de Fernanda Montenegro que fez o papel da mãe de Fermino Ariza. 

Gabriel Garcia Márquez já octogenário foi forçado a abandonar a escrita, pois teve que enfrentar de maneira exitosa um câncer linfático, embora não pudesse evitar o agravamento da "demência senil", doença muito comum entre os seus parentes. A demência senil é uma doença degenerativa que compromete progressivamente a memória e a capacidade de pensar com clareza, tem também como sintoma expressivo as mudanças de humor e de personalidade. Reside com sua família no México.

Este é o primeiro porto da "viagem" que faço pela literatura latino-americana. Os próximos portos serão no Peru de Vargas Llosa, na Argentina de Jorge Luis Borges e no México de Octávio Paz.
Postar um comentário