AVE MARIA, DE HERIVELTO, DO MORRO

 Cires Pereira

Trio de Ouro - Nilo Chagas, Herivelto e Dalva de Oliveira

É público e notório que Brasil é a nação que tem o maior número de católicos no mundo, a colonização empreendida pelos portugueses católicos desde os "seiscentos"  constituiu-se no embrião desta realidade atual.

A emancipação do Brasil no início dos "oitocentos" frente ao domínio português não implicou em nenhum desvencilhamento frente à ordem religiosa católica, ao contrário tornou a instituição ainda mais presente, mais influente e mais poderosa.

Na primeira metade dos "novecentos" o país caminhava a passos lentos para a industrialização que poderia implicar numa urbanização mais intensa, assim uma fração expressiva da população brasileira vivia no meio rural. Mesmo assim eram crescentes as migrações internas, como por exemplo os nordestinos e nortistas que riscavam o território nacional em busca de condições dignas de vida, sobretudo nas regiões sudestinas e sulistas do Brasil. Outro movimento importante era o deslocamento de trabalhadores rurais para as cidades em busca do emprego e de uma vida melhor.

Estes dois movimentos provocaram um crescimento da oferta de mão-de-obra nas cidades maior do que as ofertas de emprego, a depauperação destes pobres homens e suas famílias intensificou-se mais ainda nas cidades. Nelas ficava cada vez mais perceptíveis as favelas que contrastavam com os casarões de uma fração pequena de afortunados, os arranha-céus dos centros urbanos e as chaminés das fábricas.

Foram vários os poetas, romancistas e artistas que tomaram esta contrastante paisagem social como fonte de inspiração, a maioria denunciando o seu descalabro, apresento-lhes uma composição musical que parece-me muito reveladora desta realidade. Nela é possível identificar a força/influência do catolicismo entre os homens e mulheres de nosso país, com destaque no seio da fração majoritária de desafortunados. Ela nos apresenta o "morro" com os seus barracões de zinco e o sofrimento mesclado com a esperança de se livrar daquelas mazelas. Uma esperança umbilicalmente associada à fé inquebrantável nos signos concebidos e disseminados pelos homens da Igreja Católica.

A música "Ave Maria do Morro" foi composta por Herivelto Martins. Herivelto, durante uma partida de sinuca, observou o barulho dos pardais se recolhendo às árvores para dormir: sentiu que isso daria samba e ali mesmo começou a compor  "Ave Maria": "Tem alvorada/ tem passarada/ alvorecer/ sinfonia de pardais/ anunciando o anoitecer": entusiasmado com o esboço de samba que acabara de compor, resolveu mostrá-lo a Benedito Lacerda; Num de seus depoimentos sobre a circunstâncias em que compôs o seu maior sucesso em 1983, disse:

"Eu me preparei para mostrar ao Benedito e então cantamos eu ao violão e Dalva com aquela voz bonita crente que estávamos agradando. Terminada a apresentação, Benedito tirou os óculos, esfregou os olhos e disse: meu compadre, isso é música de igreja, vamos fazer música para ganhar dinheiro".

O então Cardeal Dom Sebastião Leme do Rio de Janeiro chegou a considerar  a canção uma heresia e pressionou os censores pela sua proibição, felizmente a música não foi censurada, ao que parece Herivelto tinha bom trânsito entre os censores do Estado Novo (Ditadura Getulista) da época. O futuro comprovou o equívoco de avaliação do Cardeal, na década de 1960 a música "Ave Maria no Morro" tornou-se também sucesso em Igrejas da Alemanha, Áustria, Suíça e outros países.

Em 1942 a música é lançada pelo "Trio de Ouro", constituído por Dalva de Oliveira, uma das vozes femininas mais impressionantes da MPB, Herivelto Martins e Nilo Chagas, fez um grande sucesso e até hoje é reverenciada por todos que analisam a história da música popular brasileira. 

Apreciem o clipe original com o Trio de Ouro" abaixo:
https://www.youtube.com/watch?v=qh5-NUGZ4fM


Ave Maria do morro

Barracão
De zinco
Sem telhado
Sem pintura lá no morro
Barracão é bangalô
Lá não existe
Felicidade
De arranha-céu
Pois quem mora lá no morro
Já vive pertinho do céu
Tem alvorada
Tem passarada
Ao alvorecer
Sinfonia de pardais
Anunciando o anoitecer
E o morro inteiro
No fim do dia
Reza uma prece
À ave maria
E o morro inteiro
No fim do dia
Reza uma prece
À ave maria
Ave maria
Ave
0