ARQUITETURA EXPRESSIONISTA NÓRDICA

CIRES PEREIRA 


Igreja de Hallgrímur - Reykjavík - Islândia



O arquitetura expressionista, cujas marcas são o anamorfismo, a distorção e a monumentalidade, surgiu no início do século XX e se tornou predominante nas regiões norte da Europa incluindo a Escandinávia. Os nazistas tomaram o poder na Alemanha em 1933 e passaram a perseguir seus aderentes, pois consideravam o expressionismo um estilo degenerado que conspirava contra a realidade e as tradições, muitos dos artistas expressionistas alemães tinham vinculação com os movimentos de esquerda no país. 

Dois templos luteranos foram desenhados por arquitetos que tiveram forte influência do expressionismo, curiosamente seus arquitetos absorveram também traços que tipificam outros estilos, o gótico e o romanesco, o resultado impressiona. Definitivamente o objetivo maior do expressionismo é impressionar.


A Igreja de Hallgrimur é um templo luterano localizado na cidade de Reykjavik, capital da Islândia, inaugurado em 1986. É uma das edificações mais impressionantes deste país nórdico de pouco mais de 300 mil habitantes, situado entre o continente europeu e a ilha de Groelândia.
 

O projeto começou a ser concebido pelo arquiteto Guôjón Samuelsson em 1937, sua ideia teve como fonte de inspiração os fluxos de lava de basalto muito característico da paisagem islandesa. A construção foi feita ao longo de quatro décadas. 


Igreja de Grundvig
A Igreja de Hallgrimur se assemelha em estilo à Igreja de Grundtvig, também luterana, edificada em Copenhagen na Dinamarca entre 1926 e 1940. A edificação dinamarquesa mescla os estilos expressionista (parte externa) e o gótico (parte interna). O arquiteto Peder Vilhelm Jensen-Klint mesclou o geometrismo moderno típico do expressionismo com os vitrais verticais que muito lembram o estilo gótico. Os tijolos maciços predominantes na edificação, lembrando um pouco da austeridade e simplicidade marcantes do estilo arquitetônico romanesco que remonta ao continente europeu durante a Alta Idade Média. Os vitrais são enormes e verticais que lembram o estilo gótico, contudo monocromáticos e  sem mosaicos, logo congruente com as peculiaridades da profissão de fé cristã-luterana.


Interior da Igreja de Grundtvig
0