11 de abril de 2014

AO "VELHO" PROFESSOR DOUTOR CAMACHO

CIRES PEREIRA - OUTUBRO DE 2013

Prof. Dr. Camacho
Há muito tempo não tinha uma tarde como a tarde deste dia 30 de outubro de 2013, sentado num "banco" de universidade acompanhando uma discussão sobre internet e redes sociais e seus significados para a sociedade civil, sobretudo para a juventude.

Antes de mais nada uma informação que desconhecia, por "juventude no Brasil" considerem todos com idade entre 15 e 29 anos, portanto todos nascidos entre os anos 1983 e 1998, ou parte da "geração X", nascidos entre 1964 e 1993 e parte da "geração Y", nascidos desde 1993.

O termo "discussão" talvez não seja o termo  mais apropriado para o que acompanhei hoje, na verdade foram esclarecedoras e augustas aulas sobre o assunto. Tudo isso provocado pelo atrevimento ou ousadia de um tal de "Camacho".

Isto mesmo José Fernando Camacho, ao expor em linhas gerais o conteúdo de sua tese de doutorado em Geografia pela Universidade Federal de Uberlândia, tornou-se o mais novo "Doutor em Geografia", com mérito e muitos, mas muitos louvores.

A Banca formada por uma "turma" que dispensa comentários, a saber: Profª Dra. Beatriz Ribeiro Soares, a Orientadora; Profº Dr. Everaldo Santos Melazzo; Profº Dr. Winston Kleiber de Almeida Bacelar, Profª Dra. Suely Regina Del Grossi Michelotto e o Profº Dr. Luis Augusto Bustamante Lourenço. A Banca, devidamente "provocada" antes pela leitura e hoje pela exposição resumida da tese, deu "um show" a parte. Demonstrando conhecimento sobre o tema e sensíveis ao grau de importância que as redes sociais no mundo virtual nas mudanças em curso na atualidade, os professores aparteavam com concordâncias e divergências o autor da tese. Em síntese deixei a sala com a sensação de ter aprendido muito nesta tarde. Há muito tempo não acompanhava uma conversa tão consistente e consequente entre seis grandes profissionais, voltei a ter a impressão de que a "academia" continua pulsando. Isto é muito bom.

Professores Winston. Suely, Beatriz, Everaldo e Luis Bustamente

A exposição da tese pelo Professor Doutor Camacho e as considerações dos demais que a leram deixaram em mim algumas boas impressões, pois trata-se de um tema que ainda é pouco e superficialmente tratado até pelos especialistas (sociólogos, historiadores, psicólogos e antropólogos), intuo que isto se deve ao fato de que se trata de uma verdadeira "história imediata". Por isso mesmo compreendo as dificuldades de todos os que se debruçam sobre o tema "Os significados da internet e redes sociais para a Juventude".

Exatamente por tudo isso digo que o Professor Camacho atreveu-se, pois está ciente que "trafega" por uma via sedutora, contudo movimentada e perigosa. Mas não esperava do Camacho outra opção senão esta, isto é típico daqueles que gostam de, nas tempestades, se aventurar sem medo. Estas pessoas especiais, Professor Camacho, um dia morrem mas as obras ficam iluminando gerações futuras. A priori a seleta lista de teses e autores  usadas pelo agora Professor Doutor estão à altura das exigências do tema, a começar pelo Manuel Castells, um dos maiores especialistas neste tema.

Não vejo a hora de ler e reler a tese de doutorado do Professor Camacho, não somente porque foi comentada e elogiado pelos professores da banca mas também  em razão da boa impressão que ficou para mim a exposição e defesa da tese.

Espero, Professor Doutor Camacho, sentir a emoção que sentiu a "banca" hoje. Há muito tempo, cinco anos, você tem perseguido esta meta. Aos "trancos e barrancos" atingiu hoje, fico muito feliz por você, por mais esta conquista. Confirmei, mais uma vez, o que já é público e notório pelo Brasil, o debate da Geografia na Universidade federal de Uberlândia como uma referência para toda a ciência no Brasil e a relevância do trabalho realizado a muito tempo pela Orientadora, a Professora Doutora Beatriz Ribeiro Soares.

Estou feliz também por outro motivo, pois sinto-me realizado em participar de uma equipe de profissionais da educação que tem "valores" como você. Isto foi comprovado hoje. Quero sim que esta tese transforme-se num livro que, lido, haverá de se tornar uma referência de leitura sobre o assunto.



Ainda nesta semana, Pedro Dória, colunista do site "O Globo" escreveu um artigo sob o título "É hora de ler Castells"(http://oglobo.globo.com/tecnologia/e-hora-de-ler-castells-8724505), sim precisamos "ler" Castells (sociólogo espanhol nascido em 1942, reconhecido com justiça pelo seu livro "sociedade em rede"), dependemos desta leitura pra compreendermos um pouco mais e melhor sobre a atualidade mundial. Castells tornou-se leitura obrigatória para os que tentam compreender a importância das redes e comunidades virtuais no dia-a-dia da sociedade contemporânea, particularmente enquanto instrumento de organização e difusão dos movimentos por cidadania e por liberdade.

Professores Camacho e Beatriz, pelo que acompanhei hoje na sala 14 do Bloco H no campus Santa Mônica na Universidade Federal de Uberlândia, passo a ter outra certeza. Precisaremos ler também Camacho.
Postar um comentário