29 de abril de 2014

UMA IDEIA PARA A CAMPANHA DE DOAÇÃO DE SANGUE, ÓRGÃOS, TECIDOS E MEDULA ÓSSEA

CIRES PEREIRA


Não tenho a menor vocação para publicidade, mas ocorreu-me uma ideia que pode ser de grande valia. Tomarei como exemplo a doação de medula óssea, pois a melhor forma de combater a leucemia é ainda o transplante de medula óssea. Compreendam de que se trata de uma necessidade imediata, pode ser que um gesto seu hoje possibilite a salvação de um ser humano que há muito tempo suplica por uma medula compatível.

23 de abril de 2014

AO (ETERNO) AMOR

Cires Pereira

"Tisbe e Píramo" - Pafos (Chipre) Século IV

Eros de Afrodite ama Psiquê.
Psique não resiste e o vê.
Eros, sentenciado, dorme.
A resignação de Psiquê é menor que o amor.
O amor não se dobra ao veredito.

19 de abril de 2014

GABRIEL GARCIA MÁRQUEZ

Cires Pereira 

Gabriel Garcia Márquez
Gabriel García Márquez nasceu na cidade de Aracataca na Colômbia no ano de 1928, laureado com o Prêmio Nobel de Literatura em 1982 em razão do conjunto de uma obra grandiosa em tamanho e em qualidade, destacando “Cem anos de Solidão” livro publicado em 1967 e outra referência de leitura, publicada nos anos 80, o “Amor nos tempos do Cólera”.

JUSTIÇAMENTO 3: SOB APLAUSOS, O "JUSTIÇAMENTO" AVANÇA.



Cires Pereira


Um rapaz foi morto em Belford Roxo, na Baixada Fluminense; outro rapaz suspeito de roubo foi amarrado e jogado sobre um formigueiro no Estado do Piauí e outro foi amarrado pelas mãos e agredido pelos populares na cidade de São Gonçalo (RJ). Casos similares foram observados em Franca (SP) e em Uberaba (MG). Em Uberlândia (MG), o desfecho foi o pior possível. Alguns populares, tomando como referência a acusação feita por uma criança de apenas três anos, agrediram um senhor com mais de 60 anos de idade, o "suspeito" morava sozinho e, segundo relato dos vizinhos, era alcoólatra. O senhor sexagenário não resistiu aos traumas e ferimentos e faleceu. 

JUSTIÇAMENTO 2; RESPOSTA AO LUCAS ELIAS



Cires Pereira



Prezado Lucas Elias para facilitar o seu entendimento e o entendimento daqueles que nos acompanham neste diálogo, colocarei em negrito algumas compilações que farei de seu texto, o restante são considerações minhas. Quero, antes de mais nada, agradecer pelos apartes e muito mais pela atenção dada ao meu texto. Considerarei também como tuas as palavras que tirastes do texto de Carolina Oliveira. 

JUSTIÇAMENTO 1: RACHEL SHEHERAZADE E A JUSTIÇA



Cires Pereira

Negro amarrado a poste

Um menor de idade e treze adultos foram presos nesta terça feira dia 04 de fevereiro no Rio de Janeiro suspeitos de agredirem duas pessoas no Parque do Flamengo. Suspeita-se que o grupo seja o mesmo que vem sendo chamado de "Justiceiros do Flamengo" desde que um rapaz suspeito de roubo na região foi agredido, deixado sem vestes e preso a um poste, na terça feira dia 31 de janeiro. O caso teve repercussão nacional e vem alimentando debates entre os que concordam e os que discordam de uma reação violenta  e ilegal por parte da sociedade civil contra os marginais, ignorando as normas e autoridades que constituem, grosso modo o Estado de Direito no Brasil.

RESOLUÇÃO DA PROVA HISTÓRIA 2ª FASE U.F. GOIÁS VESTIB. 2014

Cires Pereira - Dezembro de 2013

 

A seguir as questões discursivas por mim respondidas de História da 2ª fase do Vestibular UFG O equilíbrio, a grau  de profundidade das questões  e a clareza das indagações marcam a segunda fase da UFG. Uma prova irretocável, pois exploram o aprendizado dos vestibulandos sem perder de vista o imperativo de uma leitura que leve a uma compreensão dos textos e das demandas.

UM PAÍS REFÉM DO CORPORATIVISMO 4: AS "FÉRIAS" DE JOAQUIM BARBOSA

Cires Pereira

Ministro Joaquim Barbosa em Paris

É público que o Ministro Joaquim Barbosa entrou em férias no início de Janeiro, optou por abreviá-las em 20 dias para ministrar duas palestras nos dias 24 e 29 de Janeiro. Com isso o STF remunera 1/3 das férias não usufruídas pelo servidor.

VANDALISMO E VOLUNTARIADO

CIRES PEREIRA

VANDALISMO

 
A câmera "big brother" flagrou a maculação, provavelmente gratuita, da escultura em bronze de Carlos Drummond de Andrade na Praia de Copacabana, zona sul do Rio de Janeiro. Ao que tudo indica já as autoridades tem as identidades do casal que cometeu mais uma barbaridade. Infelizmente isto tem sido corriqueiro nas cidades brasileiras. Ainda testemunharemos a redução drástica deste delito covarde e infame, duas medidas imediatas poderiam ser a ampliação das penas e a ampliação e sofisticação das câmeras próximas aos monumentos. 

O NEOLIBERALISMO E SEUS ASSECLAS RASOS

Cires Pereira

Adam Smith e Karl Marx


Desqualificar ou invalidar metodologias de análises, conceitos e teorias pode comprometer o conhecimento e a criação que decorreria deste mesmo conhecimento. Um exemplo, não é recomendável ignorar/desqualificar o "materialismo histórico e dialético", uma metodologia concebida por Karl Marx em meados do século XIX, para a apreciação e a compreensão do sistema capitalista que naquela época encontrava-se em processo de consolidação. Hoje mesmo parece-me temerário prescindir tanto da metodologia de análise quanto das conclusões de Marx sobre o sistema capitalista, isto comprometeria o esforço intelectual até mesmo dos que se autoproclamam anti-marxistas ou liberais ou reformistas. 
 

IMPACTOS SÓCIO-ECONÔMICOS DA ATUAL CRISE NA ARÁBIA SAUDITA

Cires Pereira 

Bandeira do Reino da Arábia saudita: Inscrição: "Não há Deus  senão Alá , e Maomé  é o seu mensageiro"

O Reino da Arábia Saudita possui a maior reserva comprovada de petróleo do mundo, abriga 30 milhões de pessoas que vivem espalhadas pelos quase 2,2 milhões de Km², dos quais 92 % professam o islamismo. A estimativa para o PIB (Produto Interno Bruto) em 2013 gira em torno de 800 bilhões de dólares e uma renda per capita superior a 26 mil dólares.

O REGIME SAUDITA

O regime monárquico é absolutista,  o rei concentra os poderes em suas mãos. Sua autoridade, devidamente amparada pelos clérigos vinculados ao islamismo se sobrepõe à razão dos indivíduos ou súditos. As liberdades individuais e coletivas  não são asseguradas. 
Rei  saudita Abdallah e o Presidente dos EUA Obama

O governo não reconhece legalmente a liberdade religiosa, tampouco protege grupos que se reúnam em torno outras religiosidades. A prática pública de religiões não muçulmanas é proibida. A lei exige que todos os cidadãos sejam muçulmanos. De acordo com a "Sharia" (lei islâmica), deixar de ser um muçulmano configura uma apostasia e pode levar o "infrator" à morte é considerada um crime, caso não queira se retratar.. Os estrangeiros podem cultuar suas religiosidades, desde que em particular sem darem publicidade ao culto. O Rei Abdallah e seus antecessores sempre foram importantes aliados dos EUA numa região marcada por divergências quanto à aproximação ou não com o ocidente, o alinhamento ou não com a política estadunidense.

A ECONOMIA SAUDITA

O petróleo, cujas reservas beira os 290 bilhões de barris (as reservas brasileiras giram em torno de 10 % deste montante), é a maior fonte de riquezas do País, o turismo é outra importante fonte de riquezas, pois é na Arábia Saudita que se encontram as cidades de Medina e Meca, consideradas sagradas pelos muçulmanos, são visitadas por muçulmanos do mundo inteiro. As atividades agrárias tem sido muito estimuladas por conta do sistema de irrigação. O país tem aumentado os esforços nas áreas de geração de energia, telecomunicações, exploração de gás natural e petroquímica. Quase 6 milhões de trabalhadores estrangeiros desempenham um papel importante na economia do país, especialmente nos setores de petróleo e de serviços. Por tudo isso Arábia Saudita tem sido um dos locais preferidos por trabalhadores de outros países que por motivos alheios às suas vontades precisam migrar, são os casos de imigrantes africanos, indianos e da própria península arábica.

Hajj - peregrinação dos muçulmanos à Meca onde se encontra a "Kaaba"

A CRISE MUNDIAL AFETA ARÁBIA  SAUDITA.

A crise econômica iniciada nos EUA no 2º semestre de 2007 reverberou por todos os cantos do mundo, a Arábia Saudita também foi atingida. Os lucros provenientes do petróleo (10,5 milhões de barris de petróleo extraídos por dia) recuaram, assim os investimentos diminuíram provocando um aumento do desemprego. Neste ano (2013) o governo estima que 12,5 % da população estejam desempregados, este quadro explica as crescentes pressões dos trabalhadores sauditas por postos de trabalhos que até então tem sido ocupado pelos imigrantes, gerando então tensões sociais.

Para amenizar esta situação, o governo decidiu expulsar todos os imigrantes que não regularizarem sua situação em um prazo de três meses que, expirado em 01 de julho, foi prorrogado por mais quatro meses. Até o dia 01 de novembro quase um milhão imigrantes deixou o país. O governo informou que entre abril e novembro de 2013 informou 4 milhões de imigrantes, num montante de 8 milhões, conseguiram regularizar sua situação. O governo também reiterou que imigrantes flagrados em situação irregular poderão ser preso por dois anos além de terem que pagar uma multa de 27 mil dólares aproximadamente. Milhares de imigrantes nesta situação ainda não deixaram o país, muitos por não terem pra onde ir.

O prazo dado pelo governo expirou no dia 1º de novembro, os choques entre policiais e grupos de imigrantes tem sido recorrentes. Visando diminuir a tensão o governo anunciou que aceitará os registros entregues depois do prazo, por outro lado muitos imigrantes não tem como reunir esta documentação, muitos são refugiados de conflitos em seus países, um caso emblemático são os imigrantes etíopes.

Os imigrantes, especialmente os ilegais e clandestinos, até então ocupavam postos de trabalho que eram preteridos pelos trabalhadores sauditas. A situação na Arábia Saudita é bastante confusa, pois estas medidas contra os imigrantes clandestinos liberam postos aos sauditas, acontecem que os sauditas a princípio não estariam dispostos a trabalharem na coleta de lixo, na construção de estradas e em serviços domésticos.

As restrições aos imigrantes e o combate aos imigrantes clandestinos na Arábia Saudita repercutem repercutem principalmente no Iêmen e na Etiópia

 


1- Repercussão no Iêmen

O Iêmen é o país mais pobre da região além de apresentar os maiores contrastes sociais, quase metade da população sobrevive com até 60 dólares por mês e um terço tem fome crônica. Muitos iemenitas migraram para a Arábia saudita em busca de emprego e sobrevivência, sujeitando-se a quaisquer condições e salários, diante da situação criada pelo governo saudita, muitos imigrantes retornaram para o Iêmen, mesmo assim estima-se que 400 mil iemenitas clandestinos ainda estejam na Arábia Saudita.

Iemenitas exigem a renúncia de Ali Adullah Saleh
Após 32 anos exercendo de forma autoritária o poder o presidente Ali Abdullah Saleh  foi obrigado a deixar o governo no final de 2011, comprometendo-se a não disputar as eleições de 2012, obtendo em troca anistia para ele e sua família. Este foi o principal desdobramento dos protestos que se avolumaram no país inscritos no contexto da "primavera árabe" que tem "sacudido" os regimes autoritários na região e norte da África desde 2010. 

Os iemenitas, desde início de 2012, tem tentado com muitas dificuldades a estabilidade, o governo do presidente Abd Rabbuh Mansur Hadi tem tido dificuldades diante dos choques armados entre  tribos rivais no norte e da ação de grupos terroristas como a Al-Qaeda. 

2 - Repercussão na Etiópia

Etíopes deixam Riad

Etiópia é um país localizado no extremo nordeste do continente africano, no chamado "chifre da África" conta com a segunda maior população do continente africano. Seus mais de 91 milhões de habitantes vivem numa área de pouco mais de 1,1 milhão de Km², com um PIB estimado em 105 bilhões de dólares e uma renda per capita de pouco mais 1.100 dólares, um dos menores do planeta e 25 vezes menores do que na Arábia Saudita. Cerca de 80 % da população vive da agricultura que responde por 90 % do PIB. São recorrentes os relatórios que indicam a grande maioria vivendo abaixo da condição mínima de sobrevivência castigada por conflitos regionais e por disputas internas.

Somente em 2012, cerca de 200 mil etíopes foram para o exterior trabalhar, sobretudo para o Oriente Médio, segundo dados do ministério do Trabalho e Assuntos Sociais. No exterior, vivendo na clandestinidade e em situação análoga à escravidão, sofrem com abusos físicos e psicológicos, duras condições de trabalho, discriminação e salários baixos, uma situação reconhecida pela OIT - Organização Internacional do Trabalho, vinculada à ONU.


O governo etíope estima que conseguirá até o final deste ano repatriar cerca de 80 mil etíopes que vivem na Arábia Saudita sem registros, um programa que deve onerar o governo em 2,5 milhões de dólares (muito considerando o orçamento deste que é um dos países mais pobres do mundo). Além destes 80 mil estima-se que ainda trabalham e vivem, sem a documentação exigida, 200 mil etíopes na Arábia Saudita.

EUA 1: NASCIMENTO E AFIRMAÇÃO DE UM "IMPÉRIO"

 Cires Canisio Pereira

A "Bald Eagle" ou a "Águia de cabeça branca" passou a ser o emblema dos EUA logo depois da guerra de independência contra os ingleses, no ano de 1782. Trata-se de uma ave encontrada somente na América do Norte, tem longa vida, é muito forte e de aspecto majestoso. O voo da águia dá uma ideia de liberdade que era exatamente o que os fundadores dos EUA queriam enfatizar, uma nação soberana e poderosa.

CARTA ABERTA AO TINGA (CRUZEIRO)

Cires Pereira, 13 de fevereiro de 2014.


TINGA - Foto: Tingablog
PREZADO TINGA, desde que "me conheço por gente" torço pelo Cruzeiro de minha "Minas", acompanhei com muita satisfação a campanha vitoriosa de nosso time no campeonato nacional em 2013, é possível que seja quase uma unanimidade de que nosso time ganhou com justiça, pois jogou o mais bonito e o mais eficiente futebol. Iniciamos 2014 com o "pé direito", vencemos todas as partidas oficiais que disputamos, exceto a partida válida pela primeira rodada do campeonato "Libertadores da América". Fomos surpreendidos no Peru pelo Real Garcilaso. Estamos no começo e penso que temos ainda razoáveis chances de superarmos esta fase do campeonato.

PERSPECTIVAS PARA A ECONOMIA MUNDIAL EM 2050

Cires Pereira - Outubro de 2013
 
Uma futurologia crível
Muitas projeções são feitas por órgãos governamentais e não governamentais, algumas com uma profunda dosagem de suspeição, outras nem tanto. Tem sido publicado pelas mídias mundo afora uma projeção macroeconômica para o ano de 2.050. Nesta projeção acima (World Bank e FMI) os BRICs (Brasil, Rússia, Índia e China) serão as maiores potências econômicas do mundo ultrapassando a economia da União Europeia e a economia estadunidense.

Nesta mesma projeção, o Brasil provavelmente assumiria a posição de quinta maior economia do planeta, se considerarmos o montante das economias constituintes da "União Europeia". Destaques para a condição maior economia agroexportadora, podendo ser responsável por algo entre 35 % e 40 % de toda a produção mundial. Há ainda uma forte expectativa sobre o petróleo encontrado no "pré-sal" da costa brasileira. É também muito forte a expectativa mundial em relação às reservas naturais como água, fauna e flora.

A Rússia terá uma respeitabilidade semelhante à do Brasil, por conta do crescimento da dependência mundial de matérias-primas. Lembremos que Rússia e Brasil apresentam um vasto território ainda por desenvolverem culturas importantes para as necessidades dos povos, além dos potenciais energéticos respectivos. Não se pode ignorar o poderio e o expertise bélicos deste país, em parte herdado da extinta URSS.

Tudo leva-nos a crer que Índia se colocará na terceira posição de maior economia mundial por conta do avanço das atividades industriais, dos serviços, do avanço da instrução formal e das taxas de crescimento populacional que continuam expressivas neste país que há muitos anos tem sido segunda maior expressão demográfica do planeta com mais de 1 bilhão de habitantes. Não se pode também ignorar o seu expressivo arsenal bélico que continuará crescendo em razão dos problemas que o país tem com os seus vizinhos, especialmente o Paquistão. Índia, Paquistão e Israel não assinaram o acordo de não proliferação de armas, vigente desde março de 1970. A Coreia do Norte retirou sua assinatura em 2003.

Ao que tudo indica a economia chinesa será em 2050 a maior do mundo, tendo como base seu acelerado crescimento econômico que hoje continua acima da média mundial e da média das maiores economias mundiais. A concentração de indústria continuará numa intensidade maior do que tem sido devido ao tamanho da sua população e as novas tecnologias. Provavelmente seu poderio militar tornar-se-á ainda maior e melhor, logo mais temido. Seu poder de investimentos na própria economia e o seu poder de investimentos e financiamentos para outras economias continuarão crescendo. 

No ano passado, A China já era o segundo maior detentor da dívida do governo americano, atrás apenas do FED (Federal Reserve, o banco central dos EUA). O montante, em 2012, era de US$ 1,164 trilhão. Tem crescido muito nos últimos dois anos o apoio político do governo chinês para outras aplicações que não os títulos do Tesouro dos EUA, como a aquisição de empresas e o setor imobiliário em grandes mercados, como o de Nova York.

A grande incógnita na China diz respeito ao seu regime político, muito provavelmente as pressões por liberdade e por democracia dentro e fora da China repercutirão na "nomenclatura de Pequim". As relações com outras economias ainda provocam suspeitas e insegurança entre os demais países, especialmente os EUA que temem perder sua influência sobre as economias menores por conta da capacidade de investimento e do grau de persuasão sobre governos que tem sido crescentemente mais produtivo. Atualmente é possível encontrar em todos os continentes "tentáculos" de empresas chinesas.

Uma indicação de que tal projeção pode ser considerada é o quadro econômico no mundo nos últimos 5 anos, a desaceleração econômica nos países que constituem os BRICs tem sido, na média, menor do que as desacelerações econômicas verificadas nas economias centrais mais tradicionais como a estadunidense, a inglesa, a francesa e a alemã. Dependendo da persistência deste quadro, é possível que esta previsão para 2050 seja antecipada por 5 ou 10 anos.

AOS PROFESSORES E PROFESSORAS COM CARINHO

Prof. Cires Pereira - 15 de outubro de 2013


Hoje é 15 de outubro, no Brasil é considerado o dia dos professores. Um dos mais antigos ofícios da história, é para mim motivo de orgulho ser um professor.


A todos os professores e particularmente aos que foram os meus, recebam o meu maior respeito e gratidão. 

Tornei-me um professor graças a vocês que me fizeram compreender a tarefa que parece-me muito especial, a de lidar com o mais plástico dos materiais, o mais complexo dos seres vivos, o ser humano.

A despeito das dificuldades e percalços de nosso ofício e do fato de ser pouco valorizado por uma parcela da sociedade e pela maioria dos governantes e legisladores, não tenho a menor dúvida que fiz a melhor opção. 

Aproveito para replicar um apelo, seja você também um professor. O mundo, em particular o Brasil, precisa de mais professores que capacitem homens e mulheres para os demais ofícios que a sociedade civil demanda, que contribuam para construir uma visão de mundo mais tolerante e sensível ao outro e que, na percepção crítica da realidade, projetem e instalem uma sociedade melhor, menos desigual e mais solidária.


Sou realmente um ser muito feliz por conta da função que exerço na sociedade, sou um professor com muito orgulho.

O JAPÃO E A 2ª GUERRA MUNDIAL

Cires Pereira

Hiroito ou Imperador Showa (1926-1989)
A fasticização do Estado e expansionismo Japonês.

No ano de 1931, o "Partido Militarista", fundado por Sadao Araki, tornou-se hegemônico no Japão e passou a comandar o governo. As ações internacionais, deliberadamente belicistas e anexionistas não se restringiram à Manchúria na China e à Coreia, ocupada desde 1910, a intenção era envolver todo o "Pacífico" e grande parte da Ásia. 

TERROR EM NAIROBI - QUÊNIA

Cires Pereira - setembro de 2013


Neste sábado, dia 21 de setembro, o grupo radical muçulmano somali Al-Sahabaad reivindicou a autoria do atentado no Shopping Center Westgate em Nairobi capital do Quênia, segundo os especialistas este grupo tem ligações com a rede terrorista Al Qaeda fundada por Osama Bin Laden (já falecido). Até o momento são 39 mortos e 150 feridos. Novas informações do governo queniano, passadas na noite de domingo dia 22, dão conta que já foram contabilizados 68 mortos. Segundo o governo o cerco final aos terroristas já foi feito e o desfecho está próximo.

A seguir a mensagem que o grupo veiculou na rede Twiter:

"Os mujahedines entraram ao meio-dia de hoje no "Westgate" (...) "Eles mataram mais de cem infiéis quenianos e a batalha prossegue" (...) "Por muito tempo nós travamos uma guerra contra os quenianos em nossa terra, agora é hora de mudar o campo de batalha e levar a guerra para a sua terra".

O Presidente do Quénia Uhuru Kenyatta disse que "O Quénia não se deixa intimidar pelo terrorismo", disse ainda que perdeu parentes neste atentado. A ação terrorista ainda não foi concluída, pois nesta manhã a Al Jazeera (Rede Televisiva árabe) informou que israelenses se juntaram à polícia queniana para libertarem reféns que continuam em poder dos terroristas. É válido ressaltar que parte do Shopping pertence a investidores israelenses.


Relação com Guerra Civil na Somália

Uma guerra civil foi irrompida em 1991, neste país de maioria muçulmana sunita localizado no extremo nordeste do continente africano e que possui uma população que fala o árabe e o somali, logo após a queda do presidente Siad Barre articulada pelos "clãs do norte e do sul", contudo o novo presidente, Ali Mahdi Mohamed, não conseguiu pacificar e unificar a Somália e também caiu em dezembro no mesmo ano.


O país é palco de uma guerra que já custou as vidas 500 mil somalis. Durante a gestão do presidente Abdullahi Yusuf Ahmed, governo reconhecido pela comunidade internacional desde 2006, entretanto as tribos rivais internas comandadas pelos "senhores da guerra" e milícias islâmicas como o grupo Al-Sahbaad continuaram numa disputa fratricida e renhida, numa clara demonstração de não reconhecimento ao governo e à legislação

Em razão desta difícil e tensa situação. Tropas do Quênia entraram na Somália em 2011, onde ocupa o sul do país, como parte da força africana multinacional que apoia o governo somali contra os rebeldes islâmicos. Aqui reside a explicação mais plausível para as razões do atentado perpetrado neste momento em Nairobi. Há também que se levar em conta a face religiosa, pois os terroristas alertaram durante esta ação de que poupariam aqueles que são muçulmanos.

Depois de 20 anos de instabilidade e desmandos a Somália aprovou uma nova constituição, elegeu um novo parlamento, presidente e primeiro-ministro, abrindo caminho para o seu primeiro governo estável em cerca de 20 anos.

O presidente da Somália, Hassan Sheikh Mohamud

Desde agosto de 2012 o novo presidente, Hassan Sheikh Mohamud tem se esforçado, com o amparo de forças multinacionais dentre as quais a incluindo a queniana, a pacificar a Somália.

Repercussões na Região


A princípio não se pode estabelecer uma relação direta deste atentado com o atentado ocorrido em 7 de agosto de 1998 que teve como alvo a Embaixada dos EUA, naquele atentado 213 pessoas foram mortas e quase 5.000 feridas. Quarenta e quatro pessoas, inclusive 12 americanos, foram mortos na embaixada. Um outro atentado, no mesmo dia, ocorreu na Tanzânia em frente a Embaixada dos EUA, matando 11 pessoas. A rede terrorista Al-Qaeda assumira ambos os atentados.

Nos últimos 15 anos tem sido frequentes pequenos atentados reivindicados pelo Al-Shebaab, ligado ao Al-Qaeda, contra alvos no Quênia.

Dois fatos devem ser levado em conta: em 2011, o Al-Sahbaab havia feito uma de que atacaria Nairobi em represália ao envolvimento do governo queniano na guerra civil somali e nesta, sexta feira dia 20 de setembro, John Kerry (Secretário de Estado) do governo dos EUA encontrou-se com o presidente da Somália Hassan Sheikh Mohamud, em Washington. Antes do encontro Kerry disse: "Os EUA, obviamente, têm se empenhado em ajudar a Somália a lutar contra o terror tribal... e o presidente [do Quênia] e seus aliados têm realmente feito um trabalho incrível em revidar". 

Urge que algo seja feito para, pelo menos, reduzir a tensão nesta região. Uma atenção mais consistente sobre os problemas, uma ação firme contra o terrorismo, desde que seja resultante de um consenso multi-diplomático envolvendo a Liga Árabe, as organizações multi-diplomáticas africanas , a ONU e, obviamente, as partes envolvidas na guerra somali. 

Não se pode mais assistir, passivos, impotentes e indiferentemente ao drama que vivem os povos das regiões mais pobres do mundo. É preciso por um fim nos radicalismos que, de toda natureza, obrigam diásporas e ceifam vidas indefesas e inocentes que precisam de atenção, paz, comida e remédios. Antes disto é igualmente imperativo que governos, empresas, diplomatas e militares de todos os cantos do mundo façam um exame de consciência, pois muitos dos seus atos e decisões tem uma relação direta com o radicalismo ou o extremismo.

A não observância destes que são, não os meus conselhos, mas de todos envolvidos na questão e que tem se debruçado sobre a questão, implicará em mais atentados que poderão se tornar cada vez mais frequentes e intensos. Os que no mundo protagonizam o debate e as decisões sobre os problemas de ordem econômica, de ordem financeira, de ordem ambiental, deveriam deixar de lado seus gabinetes e palácios bem mobiliados. 
Refugiadas somalis


Deveriam viajar mais pelo planeta, sobretudo para estas regiões onde são evidentes os dramas da maioria dos povos e resolverem tais problemas, pois tenho certeza de que os custos seriam muito menores do que os custos dos esforços que tem sido feitos para enfrentarem crises econômicas e ampliação e sofisticação de seus arsenais de vigilância e defesa".

SOBRE O DIA 08 DE MARCO

Cires Pereira

Massacre de mulheres operárias  em Nova York - 08 03 1857

Não sou daqueles (maioria) que consideram o dia 08 de março como sendo o dia das mulheres. Contudo aproveito esta data para render homenagens a todos os homens e todas as mulheres que tem  empreendido lutas importantes contra quaisquer tipos de espoliação e dominação.  A data alude ao desfecho trágico de uma greve empreendida por tecelãs em Nova York quando 130 mulheres grevistas foram mortas pela polícia numa reação descomunal. 

AO MESTRE DIDI



Cires Pereira


Mestre Didi

Meu velho, nosso velho.

Você se foi.

Perda como esta não tem mensuração.

Lamento ecoa pelos cantos e recantos do Brasil negro filho de Mãe África. 


Felizmente sua arte fica.

Para muitos a mais expressiva e resistente.

O bastião do canto torto e legitimo de brasilidade e de africanidade.

Deoscóredes, vulgo Mestre Didi. Alaipini filho da ialorixá

Brasil muito deve a você, meu velho.

Você que sempre nos acolheu.

Agora é a sua vez de ser acolhido.

Mãe Senhora e filha de Ogum te recolhe.


"Mãe Senhora".  3ª do terreiro Ilê Axé Opó Afonjá.


Didi, militante incansável e brilhante da ancestralidade nagô.

Defensor da liberdade de culto e Guerreiro maior do Candomblé.

O Brasil dos negros, dos pardos e dos brancos de alma negra

reconhece e se curva à sua generosidade.